As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sites publicam entrevista falsa com juiz Sérgio Moro

Magistrado responsável pela Operação Lava Jato nunca fez a declaração “Medo de morrer? Não! Já lidei com traficantes perigosos”

Alessandra Monnerat e Caio Sartori

23 de julho de 2018 | 13h02

O juiz federal Sérgio Moro é um personagem assíduo da boataria que circula pelas redes sociais. No caso do magistrado, as mentiras costumam ser usadas para idolatrar sua imagem. É o caso de uma falsa entrevista publicada pelos sites ‘News Atual’ e ‘Diário do Brasil’, cujo título dizia “Medo de morrer? Não! Já lidei com traficantes perigosos”.

 

 

 

A própria Justiça Federal do Paraná desmentiu ao Estadão Verifica o conteúdo da suposta entrevista. “As informações contidas nesta notícia não são verdadeiras”, afirmou a assessoria. Em pouco mais de três horas de publicação, a notícia falsa tinha 1,9 mil interações no Facebook, compartilhada por páginas como “Apoiamos a Operação Lava Jato- Juiz Sérgio Moro”, “Mexeu com General Mourão, mexeu com toda a nação” e “Jair Bolsonaro 2018, A última esperança da nação”.

Na entrevista inventada, Moro fala que quer sair do País – “para mе ԛuаlіfісаr mаіѕ e аbrіr a mente” -, diz que ficará até o final da Operação Lava Jato e pede o apoio da sociedade. “Um juіz nãо pode julgаr dе асоrdо com a opinião рúblіса, mas аѕ mаnіfеѕtаçõеѕ a fаvоr dа Lаvа-Jаtо foram essenciais”, afirma um trecho do texto.

Em abril, um caso de notícia falsa contra o juiz foi parar na Justiça. Os desembargadores da 5.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3.ª Região (TRF-3) condenaram o jornalista Miguel Baia Bargas, do blog “Limpinho & Cheiroso”, por calúnia e difamação contra Moro. Em 2015, o site publicou um post com o título “Paraná: Quando Moro trabalhou para o PSDB, ajudou a desviar R$ 500 milhões da Prefeitura de Maringá”. 

Em corrente falsa no WhatsApp, Moro pede para não reeleger candidatos

Uma mensagem enviada por leitores ao número do Estadão Verifica, (11) 99263-7900, se vale do nome de Moro para pedir que os eleitores evitem reeleger candidatos. “Todo Congressista Nacional que NÃO FOR REELEITO, perde o foro privilegiado e, consequentemente será preso pela Polícia Federal, exatamente como ocorreu com o Deputado Federal Eduardo Cunha”, afirma o texto falso. A declaração nunca foi feita por Sérgio Moro.

Outra corrente no aplicativo que inventa uma mensagem do juiz já foi desmentida por aqui. Trata-se de um clássico dos boatos no WhatsApp: o texto em que o magistrado supostamente pede para a população votar nulo em outubro. O início do texto é assim: “Olá, amigos Patriotas! Aqui quem vos fala é o Juiz sergio Moro da lava jato. Hoje começo uma divulgação incansável no esclarecimento de como podemos acabar com os corruptos de carreira do nosso país!”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: