Sérgio Moro não possui conta no Facebook
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sérgio Moro não possui conta no Facebook

Posts afirmam que rede social retirou página de ex-juiz do ar, mas Moro nunca teve conta oficial na plataforma

Pedro Prata

15 de abril de 2020 | 15h21

Não é verdade que o Facebook tenha tirado do ar a conta do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, ao contrário do que indicam posts enganosos na rede social. Até a publicação desta checagem, o ex-juiz federal não possuía perfil oficial na plataforma, como confirmou a assessoria de comunicação do ministério ao Estadão Verifica.

Sérgio Moro possui contas no Instagram e no Twitter. Foto: Carl de Souza/AFP

O ministro se posiciona sobre assuntos ligados à sua pasta em sua conta no Twitter, criada em abril de 2019. Ele também ativou uma conta oficial no Instagram em 23 de janeiro deste ano.

“A pedido da minha esposa, estou entrando no Instagram”, disse Moro em seu post de estreia. Ele segurava um calendário para provar que se tratava de uma conta autêntica.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas: apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: