Receitas de álcool em gel caseiro não são eficazes contra coronavírus e podem ser perigosas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Receitas de álcool em gel caseiro não são eficazes contra coronavírus e podem ser perigosas

Melhor forma de prevenção contra a covid-19 é lavar as mãos com água e sabão da maneira correta

Alessandra Monnerat e Tiago Aguiar

20 de março de 2020 | 16h34

Com a dificuldade de encontrar álcool em gel em meio à pandemia do novo coronavírus, várias receitas de como fazer o produto em casa começaram a se multiplicar nas redes sociais. Vídeos virais no Facebook sugeriam a misturar gel de cabelo ou gelatina incolor com álcool líquido concentrado. No entanto, o álcool em gel caseiro não é eficaz na prevenção contra a covid-19 e pode ser perigoso.

O Conselho Federal de Química (CFQ) divulgou na quarta-feira, 18, uma nota que alerta para os riscos de fazer álcool em gel em casa. A entidade ressaltou que a fabricação caseira contraria a legislação brasileira e que a utilização de álcool líquido em concentração elevada pode causar acidentes como incêndios, queimaduras de grau elevado e irritação da pele e mucosas.

Com o novo coronavírus, álcool gel virou um dos itens mais comprados pelos brasileiros. Foto: Tiago Queiroz/Estadão

O conselho também alertou sobre a baixa qualidade do álcool em gel caseiro. “Os produtos industrializados passam por rigoroso processo de produção, onde há padrões a serem seguidos, todas as etapas são monitoradas e passam por controles de modo a haver padronização, regularidade e qualidade dos produtos disponibilizados ao consumidor final”, comunicou a entidade por nota. “Já o álcool em gel fabricado a partir de receitas e métodos caseiros não passa por nenhum controle de qualidade, por isso sem garantia de eficácia”.

O infectologista do Instituto Emílio Ribas Jean Gorinchteyn apontou que o gel industrializado tem todas as proporções ideais de segurança e efetividade para eliminar vírus e bactérias. “A utilização desses outros produtos, além da falsa sensação de segurança, pode provocar reações adversas”, explicou.

Devido à falta de álcool gel nas prateleiras, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta semana a fabricação do produto por farmácias de manipulação.

É importante lembrar que usar álcool em gel não é a única maneira de evitar a contaminação pela covid-19. A melhor maneira de higienizar as mãos é lavá-las com água e sabão, da forma correta, por cerca de 20 segundos — aprenda como fazer isso aqui.

Também vale ressaltar que usar álcool líquido diretamente nas mãos não é o recomendado, porque ele pode rachar a pele e abrir uma porta de entrada para bactérias. Especialistas recomendam usar a versão líquida apenas para limpeza de superfícies.

Acompanhe a cobertura em tempo real do Estado sobre o novo coronavírus.

Confira as respostas a 115 dúvidas sobre a covid-19.

Veja outras informações falsas sobre o coronavírus que circulam no WhatsApp.

Tendências: