PT exagera redução orçamentária para vacinas em 2020
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

PT exagera redução orçamentária para vacinas em 2020

Páginas de esquerda reproduzem cortes de R$ 1 bilhão, 60,6% maior que a realidade

Samuel Lima, especial para o Estado

23 de setembro de 2019 | 10h15

O governo de Jair Bolsonaro propôs redução de R$ 393,7 milhões com as despesas de compra e distribuição de vacinas em 2020 — e não R$ 1 bilhão, como apontam artigos enganosos compartilhados mais de 35 mil vezes no Facebook desde semana passada. O boato tem como origem conteúdo veiculado no site do Partido dos Trabalhadores (PT) e distribuído por diferentes portais de esquerda.

Enfermeira aplica vacina contra febre amarela na UBS Vila Aparecida, em São Paulo. Foto: Gabriela Biló / Estadão

De acordo com o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) enviado pelo Executivo ao Congresso Nacional no final de agosto, o governo pretende gastar cerca de R$ 4,9 bilhões em 2020 com “aquisição e distribuição de imunobiológicos para prevenção e controle de doenças”. O valor é 7% menor do que o previsto inicialmente para este ano: R$ 5,3 bilhões. O documento detalha como a União pretende utilizar a arrecadação pública no próximo ano e pode ser modificado pelos parlamentares até dezembro. As informações foram reveladas em reportagem do ‘Estado’ na última terça, 17.

O dado equivocado é atribuído ao deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP), que teria denunciado os números em sessão da Câmara dos Deputados em 11 de setembro. De fato, Padilha discursa no plenário e critica a proposta de redução de recursos ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde, mas não fala em cortes de R$ 1 bilhão.

Porém, no dia seguinte, antes da publicação dos artigos que exageram a redução orçamentária, o deputado acusou o presidente Jair Bolsonaro de cortar “quase 1 bilhão das vacinas do SUS” em sua conta oficial no Twitter. A mensagem foi apagada nesta quarta-feira (18), após contato do Estadão Verifica com a assessoria de imprensa do petista. A deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR) também compartilhou a informação incorreta em página no Facebook.

Em resposta, a assessoria de Padilha afirmou que “a redução dos recursos no PNI é grave, não só na compra de vacinas, mas pode impactar também na produção, modernização do parque de armazenamento, logística de distribuição e aquisição de equipamentos da cadeia de frios”. Reforçou também os números da reportagem do Estado, sem explicar o erro no material do PT.

Esse conteúdo foi selecionado para checagem por meio da parceria entre Estadão Verifica e Facebook. Para sugerir verificações, envie uma mensagem para (11) 99263-7900.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: