Projeto que impediria Moro de se candidatar foi alterado após polêmica
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Projeto que impediria Moro de se candidatar foi alterado após polêmica

Deputado Fábio Trad alterou texto para deixar claro que proposta que aumenta tempo de afastamento necessário para juízes se candidatarem não se aplica a magistrados exonerados, como Moro

Alessandra Monnerat

06 de dezembro de 2019 | 12h57

Uma publicação no Facebook acusa o deputado Fábio Trad (PSD-MS) de ter apresentado um projeto de lei para impedir o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, de se candidatar às eleições em 2022. No entanto, o post não explica que o parlamentar pediu que a proposta fosse retirada de tramitação para “aperfeiçoamento do texto”.

O boato se refere ao projeto de lei complementar 247 de 2019, apresentado no dia 6 de novembro. A proposta aumenta de 6 meses para 6 anos o tempo de afastamento necessário para que juízes e integrantes do Ministério Público se filiem a partidos e concorram a eleições.

O deputado Fábio Trad (PSD-MS). Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O projeto foi criticado como uma tentativa de tirar Moro do páreo, já que ele é citado como possível candidato a presidente ou a vice-presidente.

No Twitter, Trad se defendeu dizendo que acrescentou ao texto da proposição um parágrafo que explica que a exigência não se aplica aos juízes que se afastaram do cargo por exoneração ou aposentadoria. Dessa forma, a norma não afetaria Moro.

A proposta foi retirada de tramitação no dia 22 de novembro, atendendo ao requerimento de Trad do dia 12 daquele mês.

Este conteúdo foi selecionado para checagem por meio da parceria entre Estadão Verifica e Facebook.

Tudo o que sabemos sobre:

sérgio morofake news [notícia falsa]

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: