Vídeo com Preta Gil é editado para promover produto de emagrecimento

Vídeo com Preta Gil é editado para promover produto de emagrecimento

Postagem no Facebook distorce sentido de fala sobre autoaceitação; cantora diz que não autorizou o uso de sua imagem na propaganda e acionou equipe jurídica

Pedro Prata

26 de maio de 2022 | 11h53

Um vídeo que circula no Facebook tira de contexto e deturpa o sentido de frases da cantora Preta Gil para sugerir que ela recomenda um produto de emagrecimento. A postagem diz que “Preta Gil pingou só 3 gotas disso todos os dias de manhã e secou 37 kg”, mas a cantora não autorizou o uso de sua imagem para a promoção do produto. As falas que aparecem no vídeo foram tiradas de uma entrevista na qual a artista prega a aceitação do próprio corpo.

“Preta não autorizou o uso da imagem dela nesta divulgação e o time jurídico dela já foi acionado”, informou a assessoria da cantora por meio de nota.

Vídeo usa imagem de cantora de forma indevida para promover produto. Foto: Reprodução

No vídeo analisado, é possível ver claramente que duas falas separadas foram juntadas para que a cantora parecesse dizer “a gente entendeu que essa minha busca pela magreza, é realmente querendo ser magra”. Isso é uma deturpação do sentido real de sua entrevista.

As falas de Preta Gil foram ditas à apresentadora Thais Fersoza, em 5 de agosto de 2020. Na ocasião, a cantora contou que se surpreendeu com a reação do público ao seu corpo quando lançou sua carreira artística. Ela conta que fez lipoaspiração e tomou remédios para emagrecer, mas que posteriormente entendeu que fazia isso não por um desejo de auto aceitação, mas sim para satisfazer a opinião pública.

“E na terapia, entendi que essa minha busca pela magreza e por me encaixar nos padrões que as pessoas queriam que eu me encaixasse, era muito mais eu dizendo ‘Parem de falar de mim! Ok! Vou ficar do jeito que vocês querem. Não falem mais de mim’, do que eu realmente querendo ser magra”, contou ela.

Ao ser perguntada qual mensagem gostaria de passar para meninas que têm problemas de autoaceitação, Preta contesta os padrões de beleza estabelecidos. “Diversidade é tudo na vida do ser humano. Não podemos olhar reto para um lugar só. A gente tem que abrir o campo de visão”, diz. “Nunca vou achar bonito uma mulher gorda se eu não sigo nenhuma mulher gorda feliz. […] Então, quando você traz essas informações para a sua vida e começa a conviver com isso, você começa a ver beleza em outras coisas.”

Confira a íntegra da entrevista abaixo:


Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

Tudo o que sabemos sobre:

fake news [notícia falsa]Preta Gil

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.