Vídeos tirados de contexto exageram proporção de incêndio em aeroporto de Dubai
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vídeos tirados de contexto exageram proporção de incêndio em aeroporto de Dubai

Maioria das publicações no Facebook sobre o ocorrido usa gravações de fogo registrado em Ajman no início do mês

Tiago Aguiar

21 de agosto de 2020 | 13h33

Vídeos de diferentes locais têm sido compartilhados no Facebook como se mostrassem um incêndio em um depósito no aeroporto de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, no dia 10 de agosto. De acordo com o governo da cidade, as chamas atingiram um armazém de lojas duty free. A ocorrência foi rapidamente controlada pela Defesa Civil e ninguém se feriu. Nas redes sociais, no entanto, a maioria das postagens relacionava o episódio em Dubai a gravações de um incêndio de grandes proporções que ocorreu no dia 5 de agosto em Ajman, a cerca de 40 km do aeroporto.

Em Ajman, o fogo atingiu um mercado. Partes de sua estrutura entraram em colapso e foram completamente consumidas pelas chamas. O local é próximo de um hospital, que precisou ser evacuado com a propagação da fumaça. Ninguém ficou ferido.

Um dos vídeos do incêndio em Ajman já havia sido tirado de contexto anteriormente. No início do mês, publicações no Facebook alegavam que o fogo teria ocorrido no Iraque. Mas pelo Google Maps, é possível encontrar o prédio visto na gravação próximo à fumaça, na rua Sheikh Maktoum Bin Rashid, em Ajman.

Imagem de incêndio em Ajman foi usada fora de contexto em duas ocasiões. Foto: Reprodução/Redes sociais

Outro dos vídeos compartilhados como sendo do aeroporto é originalmente uma postagem da rede TikTok, feita pelo perfil @punjabibilike1. No próprio vídeo, o usuário atribui as imagens ao incêndio no dia 5 em Ajman.

Gravação de monitor que reproduz postagem do TikTok. Foto:Reprodução

Uma das gravações, de autoria incerta, foi utilizada por um dos principais canais dos Emirados Árabes Unidos, Youm7, para retratar o incêndio no mercado de Ajman.

Gravação mostra incêndio no mercado de Ajman, de acordo com canal Youm7. Foto: Reprodução/Youm7

Por fim, um dos vídeos compartilhados como sendo de Dubai é de um incêndio que ocorreu em um oleoduto no Egito em julho deste ano, conforme checado pelo site português Observador. A gravação, de origem incerta nas redes sociais, foi utilizada por diversos veículos de imprensa para retratar o episódio.

Imagens das chamas no Egito em julho deste ano. Foto: Reprodução/YouTube

Além do Observador, o Boatos.org também checou parte deste conteúdo.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: