Postagem no Facebook exagera rejeição a João Doria

Postagem no Facebook exagera rejeição a João Doria

Publicações nas redes sociais espalham boato que governador paulista teria avaliação negativa de 98% da população

Tiago Aguiar

04 de maio de 2020 | 18h49

Uma imagem que circula no Facebook alega, sem evidências, que o governador de São Paulo João Doria possui “98% de rejeição” da população. Há publicações similares no Twitter desde pelo menos 17 de abril. Em nenhuma das pesquisas dos principais institutos de mensuração da opinião pública há registro de número próximo de 98%, seja em âmbito nacional, estadual ou municipal.

Segundo a última sondagem do Ibope, feita em parceria com o Estado, divulgada em 23 de março deste ano, a avaliação negativa de Doria na cidade de São Paulo é de 44%. O Instituto Datafolha divulgou no último dia 8 uma pesquisa que mediu o desempenho do governador na resposta à crise do coronavírus.  O desempenho de Doria foi avaliado como ruim ou péssimo por 19% dos entrevistados de todo o Estado.

Datafolha

Uma pesquisa nacional do XP/Ipespe, divulgada nesta segunda-feira, 3, em que uma nota de 0 a 10 foi atribuída pelos entrevistados a diversas figuras políticas, Doria aparece com 4,7 — a mesma média que o presidente Jair Bolsonaro. Entre pesquisas não públicas e trackings — sondagens com menor rigor, normalmente feitas por partidos — neste ano não há nenhum registro de pesquisa sobre rejeição do governador paulista.

Há quatro semanas, desde o último dia 11, carreatas e passeatas contra Doria — e em apoio a Bolsonaro — ocorrem em São Paulo e em cidades do interior paulista. As manifestações são simultâneas à troca de críticas entre o governador e o presidente que aumentou após a crise do novo coronavírus.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

 

Tudo o que sabemos sobre:

joão doria

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.