Piada sobre coronavírus em prostíbulo na Espanha se espalha e engana desavisados
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Piada sobre coronavírus em prostíbulo na Espanha se espalha e engana desavisados

Brincadeira sobre quarentena em casa de prostituição foi compartilhada com foto que simula notícia em canal de televisão espanhol

Alessandra Monnerat

05 de março de 2020 | 18h57

É falso que um prostíbulo na Espanha tenha entrado em quarentena em meio à epidemia do novo coronavírus. O que começou como uma piada passou a ser compartilhado como verdade por usuários desavisados no Twitter e no Facebook. 

No dia 26 de fevereiro, o site satírico “Cerebrother” publicou a “notícia” de que 86 clientes teriam sido colocados em quarentena dentro da casa de prostituição “La Selva Negra”. Somados os funcionários do lugar, 116 pessoas estariam com suspeita de infecção pelo novo coronavírus. Mas o site deixa claro que toda a história é apenas brincadeira.

No Facebook, a página de humor “Unach Memes” compartilhou no dia 28 de fevereiro uma foto que simula uma notícia do canal de televisão espanhol 26. Obviamente, no portal do veículo não existe nenhum registro do curioso caso de quarentena.

Ahora la mujer les mata!!

Publicado por UNACH MEMES em Sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

No Twitter, o jornalista e humorista José Simão também compartilhou a piada, e chegou a brincar sobre o assunto na rádio BandNews FM.

Casos de coronavírus no Brasil

Até esta sexta-feira, 6, foram registrados 386 casos de infecção pelo novo coronavírus na Espanha, com cinco mortes. No Brasil, há treze contaminações confirmadas — dez casos em São Paulo, um no Rio de Janeiro e um no Espírito Santo.

Os sintomas do novo coronavírus são parecidos com os de uma gripe comum. Para evitar a propagação do vírus, os órgãos de saúde recomendam medidas de higiene simples, como lavar as mãos com frequência. Acompanhe atualizações em tempo real sobre o assunto.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

Tendências: