É falso que vídeo mostre PMs salvando idoso colocado sob uma laje de concreto pelo filho

É falso que vídeo mostre PMs salvando idoso colocado sob uma laje de concreto pelo filho

Agentes foram chamados para resgatar homem que ficou preso em galeria de esgoto

Pedro Prata

17 de fevereiro de 2022 | 13h50

É falso que a Polícia Militar de São Paulo tenha salvado um idoso no bairro de São Mateus que teria sido colocado sob um piso de concreto pelo filho. Essa alegação circula em postagens no Facebook que somam mais de 17 mil compartilhamentos.

As postagens acompanham um vídeo de uma ação da PM. Dois agentes usam uma marreta para quebrar uma laje de concreto e retiram um idoso de um espaço abaixo de onde se encontram. A legenda erroneamente diz que um homem teria “concretado” o pai em um buraco para usar o dinheiro dele. Ele teria confessado o crime na delegacia e estaria preso.

Foto: Reprodução

O vídeo possui uma marca d’água do deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP), o que dá uma primeira pista para a origem do vídeo. Encontramos o mesmo vídeo postado na página do parlamentar em 6 de dezembro de 2020, mas ele não diz que se trataria de um crime de um filho contra o pai.

O passo seguinte foi realizar uma busca no Google com os termos “PM retira homem de fosso de concreto em SP”. A busca foi restringida para o período de dezembro de 2020, quando o vídeo foi compartilhado pelo Coronel Tadeu.

Com isso, foi possível encontrar a reportagem “PMs resgatam idoso de tubulação de esgoto em SP”, do programa Balanço Geral Manhã, da TV Record. A reportagem exibe o mesmo vídeo utilizado no post. Trata-se de um salvamento de um idoso de 63 anos de idade que teria ficado preso em uma galeria de esgoto. A polícia foi chamada depois que vizinhos ouviram os pedidos de socorro.

Não há informação de que ele teria sido colocado lá pelo filho. A reportagem informa que ele mora no local apenas com a mãe, de 85 anos. Familiares informaram que ele já desapareceu anteriormente e foi encontrado dias depois em um bairro distante.

A Polícia Militar de São Paulo confirmou que o vídeo foi gravado na ocorrência noticiada pela TV Record. A mesma notícia foi dada pelo SBT. A emissora também não fez nenhuma referência a um filho do homem.

Esse conteúdo também foi checado por Boatos.org.


Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.