Páginas de Facebook usam imagens de marcas para promover sorteios falsos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Páginas de Facebook usam imagens de marcas para promover sorteios falsos

Esquema pede informações pessoais de usuários e oferece ofertas de compra de cartão de crédito

Victor Pinheiro, especial para o Estado

20 de dezembro de 2019 | 15h18

Páginas no Facebook estão utilizando imagens de marcas reconhecidas para promover sorteios falsos. Desde outubro, o Estadão Verifica identificou conteúdos maliciosos que utilizam a identidade visual de diversas empresas, entre elas: O Boticário, Havan, C&A, Magazine Luiza, Lojas Cem e Americanas. Mais recentemente, voltaram a circular publicações com imagens das Casas Bahia que prometem celulares como prêmio. 

As postagens falsas orientam o usuário a comentar um número ou determinada expressão para participar de sorteios de celulares e outros eletrônicos. Um exemplo é da página “Casas Bahia Agora”, que publicou a foto de um iPhone com a legenda “Abra a foto e escreva um número de 0 a 80. Se o número ficar VERMELHO ou se nossa equipe lhe chamar, você ganhou!”. O post recebeu 2,1 mil compartilhamentos em menos de 24 horas.

Exemplo de sorteio falso no Facebook. Foto: Reprodução/Facebook

Depois que o usuário publica qualquer comentário na publicação, a página falsa entra em contato por meio de mensagens automáticas, pelo próprio aplicativo de conversas do Facebook. Em seguida, sugere que a pessoa escolha um número e compartilhe a publicação em cinco grupos diferentes para se classificar para o sorteio. Mesmo se o usuário não seguir essas instruções, a página pede que ele insira informações pessoais em um cadastro com link externo.

Em outro caso semelhante, identificado pelo Estadão Verifica em outubro, uma página que usa a identidade visual da Magazine Luiza pede ao usuário que acesse um link externo e faça login com sua conta no Facebook para confirmar “se o perfil não é fake!!!”. Minutos depois, a mesma página afirma existir uma parceria entre a marca e bancos e, então, envia um link indicando a oferta para aquisição de um cartão de crédito com limite de R$ 5 mil reais.

Empresas apontam a falsidade do conteúdo

A Via Varejo, empresa que administra a Casas Bahia, informa que os sorteios e a página de rede social no link enviado pela reportagem são falsos e esclarece que “divulga ações e promoções nos endereços oficiais da marca”. A Lojas Americanas afirmou que “os anúncios em questão são falsos e que denunciou a página responsável pelo conteúdo ao Facebook”. 

Já a Havan disse ter criado “Por meio do corpo jurídico, auditoria e tecnologia, juntamente com as plataformas, um comitê de combate para a identificação e rastreamento dos criadores, para processar e responsabilizar os autores cível e criminalmente.”. Além disso, “a empresa ratifica que, somente faz contato ou qualquer tipo de comunicado com seus clientes por meio dos seus perfis oficiais.”.

A C&A esclarece que “suas campanhas e promoções são realizadas somente por meio de seus canais oficiais e todas as vendas de produtos são realizadas apenas em lojas físicas, e-commerce ou aplicativo da marca.”.

Em seu próprio site, a Lojas CEM alerta consumidores que seu nome vem sendo utilizado indevidamente e que notícias falsas sobre promoções, sorteios de prêmios e ofertas de produtos circulam de forma fraudulenta nas redes sociais.

Em entrevista ao Estado, a gerente de segurança da informação do Grupo Boticário, Márcia Tosta, confirmou que os sorteios identificados pela reportagem são falsos. Segundo ela, a empresa divulga brindes aos consumidores somente na página oficial da marca nas redes sociais. Além disso, a escolha dos vencedores não ocorre diretamente nas plataformas.

Tosta também aponta que a ocorrência desse tipo de conteúdo enganosos é frequente e que a empresa age para combater páginas falsas. De acordo com ela, a empresa mantém uma página com denúncias de todas as campanhas fraudulentas identificadas pelas marcas dos grupo. O resultado, segundo a gerente, foi a redução de 46% no número de páginas falsas com a identidade da empresa. 

Por fim, Tosta alerta que o usuário deve sempre “verificar a ocorrência de promoções e sorteios nos sites oficial das marcas”. Outra dica é suspeitar de postagens com erros ortográficos, bem como de links que não tenham o domínio corretos das marcas.