Vídeo mostrando outdoors contra Lula traz montagens e imagens antigas

Vídeo mostrando outdoors contra Lula traz montagens e imagens antigas

Das nove fotos em ‘coleção’ divulgada por site bolsonarista, duas foram alteradas digitalmente e três não são deste ano

Samuel Lima e Victor Pinheiro

24 de março de 2022 | 15h54

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra uma suposta “coleção” de outdoors contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), mas nem todos os registros são autênticos ou atuais. Das nove fotografias de cartazes que aparecem na peça, duas são montagens e três não foram registradas neste ano.

O Estadão Verifica constatou que a primeira peça, que traz o nome da cidade paranaense de Umuarama, na verdade deriva de um modelo utilizado por publicitários para apresentar seus projetos. Também é falsa uma outra placa de rua em que moradores de Caetés, no Pernambuco, supostamente teriam “pedido desculpas” por aquela ser a cidade natal do petista.

A lista de conteúdos antigos envolve uma placa fixada por movimentos lavajatistas sobre esperar Lula de “grades abertas”, em 2017, e outra no Piauí que o chamava de “doutor em corrupção” naquele mesmo ano. O vídeo traz ainda uma pichação em Manaus, no Amazonas, que pedia a sua prisão em abril do ano passado.

Os cartazes de Ariquemes (RO), Água Boa (MT), Alta Floresta (MT) e Parauapebas (PA) aparecem em notícias de sites dessas regiões no começo de março. Com relação ao município de Rondônia, o Tribunal Regional Eleitoral determinou a remoção dos painéis em uma estrada da cidade por propaganda eleitoral antecipada e conteúdo ofensivo.

No final de fevereiro, o PT processou lideranças de movimentos conservadores e ligados ao agronegócio do município de Rondonópolis, no Mato Grosso, que haviam fixado um cartaz na BR-364 chamando Lula de “bandido”, “maldito” e “traidor da pátria”. A mesma frase aparece em alguns conteúdos analisados nesta checagem. Procurada, a assessoria do petista não retornou o contato.

Umuarama (PR) — Falso

O cartaz que cita o nome da cidade paranaense de Umuarama é uma montagem. A partir de uma busca reversa da imagem no Yandex, o Estadão Verifica encontrou o mesmo modelo de outdoor sendo usado para a campanha de um político da Eslováquia, em melhor resolução.

Novas pesquisas mostraram que o conteúdo aparece com frequência no Behance, repositório de projetos publicitários da Adobe. Serve de base para mock-ups (simulações de peças publicitárias antes da etapa de produção) de diferentes produtos — como o combustível da empresa venezuelana PDVSA, que patrocinava a equipe Lotus de F1.

O blog descobriu ainda que o céu azul de fundo foi inserido digitalmente a partir de uma foto disponibilizada no Freepik, um banco de imagens gratuito.

Caetés (PE) – Falso

A placa de Caetés, em Pernambuco, em que moradores supostamente “pedem desculpas” por ser a cidade natal do ex-presidente Lula é uma montagem, como constatou uma checagem da Lupa, em julho de 2019. “A imagem original é de uma placa na Malásia e mostra a distância de algumas localidades do país, incluindo a capital Kuala Lumpur, de um determinado ponto”, informa a publicação.

Curitiba (PR) — Verdadeiro, mas antigo

A ilustração de Lula atrás das grades com a legenda “Seja bem-vindo! A república de Curitiba te espera de grades abertas” aparece em uma reportagem da revista Veja, de maio de 2017. Na época, o petista havia sido convocado para depoimento pelo ex-juiz Sergio Moro em investigação da Operação Lava Jato sobre o caso triplex do Guarujá. O outdoor era assinado pelos grupos Vem Pra Rua e Lava-Togas. A foto, portanto, é verdadeira, mas de cinco anos atrás.

Teresina (PI) — Verdadeiro, mas antigo

A imagem de uma placa com os dizeres “Seu título no Piauí: doutor em corrupção e lavagem de dinheiro”. foi compartilhada pelo senador Alvaro Dias (Podemos-PR), em setembro de 2017, e mostra um protesto contra a caravana “Lula pelo Brasil” pelo Nordeste.

Segundo portais de notícias locais, painéis foram instalados em Teresina e Timon pelos movimentos Brasil Melhor Piauí, Associação dos Conselheiros Conservadores e Movimento Monarquia, e alguns deles foram depredados. O mote se refere ao fato de que a Universidade Federal do Piauí (UFPI) concederia o título de “doutor honoris causa” ao político, em solenidade no dia 4 de setembro de 2017.

Manaus (AM) — Verdadeiro, mas antigo

Segundo noticiado por sites locais, a placa com os dizeres “Os trabalhadores do Amazonas querem Lula de novo” foi apresentada no Distrito Industrial, em Manaus, em abril de 2021. A peça foi mais tarde pichada para alterar o sentido da frase, acrescentando o trecho “na cadeia”. Circula na internet um vídeo em que um homem aparece de costas escrevendo as duas palavras em tinta branca.

Ariquemes (RO) — Verdadeiro

A placa de Ariquemes, em Rondônia, com os dizeres “Fora… maldito” em um fundo azul é verdadeira. Em 17 de março, a 7ª Zona Eleitoral do Estado determinou a retirada do outdoor por propaganda eleitoral antecipada, atendendo a um pedido do Ministério Público. De acordo com a denúncia, dois painéis foram colocados nas margens da BR-364, perto do quilômetro 512. O dono da gráfica que elaborou a peça diz tê-la feito a pedido de um empresário rural da região.

Água Boa (MT) — Verdadeiro

A peça de propaganda política contra Lula em Água Boa, Mato Grosso, foi fixada nas margens da BR-158, a poucos metros do perímetro urbano da cidade, segundo noticiaram sites da região no início de março. O vídeo analisado pelo Estadão Verifica mostra a mesma placa em três momentos diferentes.

Alta Floresta (MT) — Verdadeiro

O outdoor de Alta Floresta, no Mato Grosso, que chama Lula de “traidor da pátria” é verdadeiro e foi divulgado em portais de notícias locais em 6 de março deste ano. A autoria indicada é do Movimento Conservador. Em seguida, montagens grosseiras com essa mesma imagem passaram a viralizar nas redes sociais com o nome de outras cidades no topo, como Penápolis (SP), Monte Aprazível (SP) e Paragominas (PA), sendo desmentidas em checagem da agência Aos Fatos.

Parauapebas (PA) — Verdadeiro

O outdoor contra Lula em Parauapebas, no Pará, havia sido colocado por bolsonaristas na PA-275, perto do viaduto e da entrada da cidade, em 3 de março deste ano, segundo sites de notícias da região, mas foi retirado em menos de 24h. Houve debate entre vereadores se a peça deveria ser considerada propaganda eleitoral antecipada.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.