Não é de padre Fábio de Melo texto sobre ataque em Suzano com frase ‘armas não matam’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Não é de padre Fábio de Melo texto sobre ataque em Suzano com frase ‘armas não matam’

Religioso desmentiu que tenha escrito mensagem que fala que culpa de atentado é desestruturação das famílias e falta de amor

Alessandra Monnerat

15 de março de 2019 | 19h12

Texto foi falsamente atribuído ao padre Fábio de Melo. Foto: Globo/Mauricio Fidalgo/Divulgação

Um texto que circula no WhatsApp sobre o ataque em Suzano tem sido falsamente atribuído ao padre Fábio de Melo. O próprio religioso já desmentiu, em seu Twitter, que tenha escrito a mensagem, que contém a frase “armas não matam, o que mata é a ausência de amor”. Leitores do Estadão Verifica enviaram o boato para checagem ao número (11) 99263-7900.

O conteúdo enganoso tem circulado com o título “o melhor texto que já li sobre o acontecimento de ontem (quarta-feira, 13)”. A mensagem começa afirmando que os assassinos não mataram por causa de bullying, videogames violentos ou “porque o porte de arma é um projeto do atual governo”. A culpa dos assassinatos estaria nas “famílias desestruturadas” e na “ausência de amor”.

No Twitter, o padre publicou o texto verdadeiro que escreveu sobre o assunto, em que não cita porte de arma, bullying ou videogames. Na mensagem, o religioso fala de carências afetivas e desamparo emocional. Veja abaixo:

Em outra mensagem publicada na rede social, Fábio de Melo alerta que uma página no Facebook que divulgou a mensagem falsa em seu nome também “vende livros que prometem curar a depressão”. A postagem enganosa que o religioso denunciou contém link para um site que comercializa um livro por R$ 47.

Os sites Fato ou Fake e Boatos.Org também publicaram checagens sobre o assunto.