Moro não era ministro quando foi eleito um dos ‘maiores líderes do mundo’ pela revista ‘Fortune’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Moro não era ministro quando foi eleito um dos ‘maiores líderes do mundo’ pela revista ‘Fortune’

Boato enviado ao WhatsApp do Estadão Verifica (11-99263-7900) traz informação falsa de que homenagem seria recente

Alessandra Monnerat e Paulo Roberto Netto

28 de março de 2019 | 16h13

Sérgio Moro ainda não era ministro da Justiça e da Segurança Pública quando foi eleito um dos “maiores líderes do mundo” pela revista Fortune. Um boato enviado por leitores ao WhatsApp do Estadão Verifica (11-99263-7900) traz a informação falsa de que o ex-juiz teria acabado de ser escolhido para receber a homenagem — o fato, no entanto, ocorreu em 2016.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. Foto: Carl de Souza/AFP

Na época, Moro ainda conduzia as ações da Operação Lava Jato em Curitiba. Ele foi colocado em 13º lugar pela revista, como informou a reportagem do Estado de março de 2016. Outros nomes da lista incluíram o papa Francisco (4º), a ex-premiê alemã Angela Merkel (2ª) e o fundador da Amazon, Jeff Bezos (1º).

A lista mais recente da Fortune, de 2018, não inclui o atual ministro do governo Bolsonaro. Na primeira colocação dos “maiores líderes do mundo” estão os estudantes americanos que defendem maior controle na venda de armas após o massacre de Parkland e diante do grande número de atiradores em escolas dos Estados Unidos. No 13º lugar, está o presidente da França, Emmanuel Macron.

A mensagem enganosa também tem sido divulgada no Facebook como se fosse recente. Uma delas tem mais de 1,6 mil compartilhamentos. O site Boatos.Org já checou essa desinformação.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: