Montagem espalha informação falsa de que Doria cogita restringir energia elétrica em SP

Montagem espalha informação falsa de que Doria cogita restringir energia elétrica em SP

Conteúdo altera manchete de reportagem publicada na revista 'Veja'; governo de São Paulo e autor do artigo original desmentiram boato nas redes sociais

Victor Pinheiro, especial para o Estadão

17 de março de 2021 | 17h21

É falso que o Governo do Estado de São Paulo cogite cortar o fornecimento de energia elétrica durante a madrugada, caso a população paulista não siga as medidas restritivas de combate ao coronavírus. O boato é compartilhado em redes sociais e no WhatsApp na forma de uma montagem que altera a manchete de um artigo publicado no site da revista Veja

Leitores solicitaram a checagem deste conteúdo por meio do WhatsApp do Estadão Verifica, 11 97683-7490.

Boato faz montagem para sugerir que Doria pretende restringir energia elétrica em SP

Não há, na plataforma digital do veículo, qualquer artigo com a manchete apresentada no boato. A autoria, a data e o horário da publicação descritos na imagem enganosa, por outro lado, coincidem com um artigo intitulado “SP anuncia fase emergencial, com veto a cultos, futebol, praias e parques”.

A matéria não cita cortes de energia elétrica no Estado. Também não consta qualquer medida semelhante no decreto que regulamenta a fase emergencial em São Paulo. O governo paulista usou o Twitter para desmentir a mensagem enganosa e ainda alertou que não cogita medidas restritivas no fornecimento de água.

Manchete Original:

Foto: Reprodução/Veja

Montagem:

O repórter da Veja Eduardo Gonçalves, que assina a matéria original, também se posicionou pelas redes sociais. “Parece pouco, mas os produtores de fake news se apropriaram do meu nome e do logo da VEJA para disseminar mentiras. E isso ataca a nossa credibilidade, que é o principal ativo que nós, jornalistas, temos a oferecer às nossas fontes e leitores”, pontuou.

Esse tipo de estratégia não se aplica somente a veículos de notícias. O Estadão Verifica já desmentiu montagens que distorciam uma entrevista do diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) para espalhar desinformação sobre máscaras.

Os sites Aos Fatos e Agência Lupa também desmentiram o boato. 

Tudo o que sabemos sobre:

joão doriaSão Paulo [estado]covid-19

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.