Montagem compartilhada no Facebook insere slogan de Bolsonaro em santinho de Collor
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Montagem compartilhada no Facebook insere slogan de Bolsonaro em santinho de Collor

Ex-presidente não usou frase 'Brasil acima de tudo, Deus acima de todos' durante campanha eleitoral de 1989

Estadão Verifica

04 de julho de 2020 | 16h21

Voltou a circular nas redes sociais uma montagem com o santinho da campanha presidencial de Fernando Collor de Mello (PROS-AL) de 1989. A imagem foi alterada digitalmente para inserir o slogan de Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições de 2018: “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”.

No santinho verdadeiro, o slogan adotado por Collor, candidato vitorioso pelo extinto Partido da Reconstrução Nacional (PRN), foi “Vamos construir um Brasil novo”. A frase foi escrita com letras brancas e fundo azul, na parte inferior da peça.  

Na imagem alterada, o slogan “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos” foi inserido em letras amarelas. No Facebook, a montagem foi compartilhada com a legenda “eu já sabia que tinha visto isso em algum lugar”. 

Segundo o Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getúlio Vargas (CPDOC-FGV), a campanha de Collor buscou passar a ideia de que o ex-governador do Alagoas seria um “caçador de marajás” e  que o seu governo deixaria “a direita indignada e a esquerda perplexa”. 

Uma reportagem da Folha de São Paulo de 2018 apontou que o slogan de Bolsonaro durante a campanha que o levou à Presidência é uma apropriação do brado da Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército, da qual fez parte em sua trajetória militar. 

Este boato circula pelo menos desde 2019, quando foi checado por Agência Lupa, UOL Confere, E-Farsas e Boatos.Org

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: