As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Manuela D’Ávila não falou em ‘pegar armas’ contra Sérgio Moro

Boato circula no WhatsApp como um tweet falso atribuído à candidata a vice na chapa de Fernando Haddad (PT)

Alessandra Monnerat e Caio Sartori

05 Novembro 2018 | 16h41

Não há nenhuma “guerra contra Sérgio Moro” declarada pela candidata a vice na chapa derrotada de Fernando Haddad (PT), Manuela D’Ávila (PCdoB). Um tweet falso atribuído à deputada estadual do Rio Grande do Sul foi enviado diversas vezes ao WhatsApp do Estadão Verifica, (11) 99263-7900.

Segundo a montagem, Manuela afirmaria que vai “pegar em armas” para fazer um movimento nos moldes da Revolução Cubana. O objetivo seria derrotar “Sérgio Moro e sua bancada”. Uma pesquisa no Twitter, no entanto, prova que a deputada não publicou nenhuma mensagem do tipo. Nas opções de busca avançada na rede social, é possível ver quais tweets publicados por ela contém o termo “Sérgio Moro”.

Outros dois elementos reforçam que a publicação é falsa. Primeiramente, a conta de Manuela D’Ávila no Twitter é @manueladavila, e não @manudeputada, como alega a imagem que circula no WhatsApp. Além disso, o nome da ex-candidata a vice está escrito errado, e a mensagem contém outros erros de pontuação e gramática.

A deputada já havia desmentido o tweet em sua rede social. “A luta que faço é na política”, afirmou.

Indicado na semana passada como Ministro da Justiça pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), Sérgio Moro foi personagem de outros boatos na semana passada. Um deles é uma suposta “carta ao povo brasileiro”, em que o juiz pede um referendo para reduzir o número de deputados e pedir o voto facultativo.

No entanto, a mensagem é falsa e antiga. Diversos outros sites de checagem já desmentiram a “carta”, incluindo Boatos.Org, UOL, Veja e Lupa.