Lula não foi autorizado a dar entrevista antes do segundo turno
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lula não foi autorizado a dar entrevista antes do segundo turno

Globo não solicitou e STF não liberou entrevista do ex-presidente; proibição vale para qualquer outro veículo de comunicação

Estadão Verifica

24 de outubro de 2018 | 15h19

checagem abaixo foi publicada pelo Projeto Comprova. A verificação foi realizada por uma equipe de jornalistas da Bandnews FM e UOL. Outras redações concordaram com a checagem, no processo conhecido como “crosscheck”.

Projeto Comprova é uma coalizão de 24 veículos de mídia com o objetivo de combater a desinformação durante o período eleitoral. Você pode sugerir checagens por meio do número de WhatsApp (11) 97795-0022.

É falsa a informação disseminada no WhatsApp de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi autorizado a dar uma entrevista à TV Globo. A emissora sequer apresentou pedido de entrevista à Justiça, e, de acordo com o Supremo Tribunal Federal (STF), nem entrevistas a outros veículos de comunicação foram autorizadas.

A mensagem falsa que circula no aplicativo diz que Lula seria entrevistado pela Globo no próximo sábado, dia 27, véspera da realização do segundo turno das eleições. O site Ursal Brasil também publicou um texto com esta informação inverídica. A publicação deste site aparece com a data de 15 de setembro de 2015, quando o ex-presidente ainda não estava preso em Curitiba e não havia proibição de entrevistas.

Em setembro, o ministro Ricardo Lewandowski, do STF, chegou a autorizar que Lula concedesse entrevista à Folha de S.Paulo, mas esta decisão foi suspensa por Luiz Fux.

No começo de outubro, Lewandowski autorizou Lula a dar entrevistas, mas encaminhou sua decisão ao presidente da corte, Dias Toffoli para que ele deliberasse sobre a execução.

Procurado pelo projeto Comprova, o STF informou que não há novidades em relação ao caso. Toffoli decidiu que as entrevistas de Lula ficam suspensas até “posterior deliberação” do plenário do Supremo.

Fato ou Fake, do Grupo Globo, e o Boatos.org já desmentiram esta peça de desinformação.

O pedido de verificação do boato chegou ao Comprova pelo WhatsApp do projeto (11-97795-0022).

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.