Post com vídeo antigo engana ao afirmar que Lula e Alckmin foram hostilizados em Porto Alegre

Post com vídeo antigo engana ao afirmar que Lula e Alckmin foram hostilizados em Porto Alegre

Vídeo foi registrado em 2018, em Florianópolis; Lula e Alckmin estiveram em Porto Alegre, mas não o Mercado Municipal

Projeto Comprova

10 de junho de 2022 | 19h25

Esta checagem foi produzida por jornalistas da coalizão do Comprova. Leia mais sobre nossa parceria aqui.

Conteúdo investigadoVídeo mostra uma aglomeração de pessoas em suposto protesto contra a presença de Lula e Geraldo Alckmin no Mercado Público de Porto Alegre e, diante disso, questiona a credibilidade das pesquisas eleitorais, que apontam para a liderança do ex-presidente nas intenções de voto.

Onde foi publicado: TikTok e Twitter.

Conclusão do Comprova: É enganosa a postagem que viralizou no TikTok, feita no dia 6 de junho, que afirma que Lula e Alckmin foram hostilizados durante visita ao Mercado Público de Porto Alegre (RS). O post destaca a seguinte frase: “Cadê o líder nas pesquisas?”, como forma de desacreditar as pesquisas recentes de intenção de voto, que são favoráveis a Lula.

Vídeo semelhante foi encontrado em publicação de 2018 nas redes sociais, como mostrou a Agência Lupa. As correspondências de personagens confirmam que trata-se do mesmo evento.

O Comprova localizou o mesmo vídeo postado no TikTok em tuítes publicados entres os dias 4 e 8 de junho e que trazem a mesma informação. Neles, com imagens em melhor resolução, foi possível perceber que há manifestações também de apoio a Lula. Assim, não se pode afirmar que os gritos de protesto são uma amostra da reprovação da população ao ex-presidente.

As características do espaço também mostram que o vídeo foi gravado no Mercado Público de Florianópolis (SC), e não no de Porto Alegre, cidade em que Lula e Alckmin estiveram, no dia 1º de junho, para evento na casa de shows Pepsi on Stage.

A assessoria de imprensa do PT negou que Lula e Alckmin tenham estado no Mercado Público de Porto Alegre ou em Santa Catarina. Não foram encontradas reportagens em veículos de imprensa ou postagens em redes sociais que atestem a presença dos políticos no local ou na cidade.

O Comprova classifica como enganoso todo conteúdo retirado do contexto original e usado em outro de modo que seu significado sofra alterações; que usa dados imprecisos ou que induz a uma interpretação diferente da intenção de seu autor; conteúdo que confunde, com ou sem a intenção deliberada de causar dano.

Alcance da publicação: O Comprova investiga os conteúdos suspeitos de maior alcance nas redes sociais. Até o dia 10 de junho, o vídeo teve mais de 22,6 mil interações, entre comentários, compartilhamentos, visualizações e curtidas.

O que diz o autor da publicação: Luiz Augusto Barbosa dos Santos, de 45 anos, foi candidato a vereador de Campos Novos (SC) pelo Democratas em 2020, mas não se elegeu. Ele foi procurado via e-mail e mensagem no Facebook, mas não retornou.

Como verificamos: Pesquisas com os termos “Lula”, “mercado público” e “Porto Alegre” no campo de busca do Twitter levaram à localização do mesmo vídeo publicado em diferentes contas. Como as imagens estavam em melhor resolução e sem inscrições na tela, foi possível analisá-las mais detalhadamente.

Um dos vídeos foi baixado com utilização do site Save from Net e verificado, frame a frame, no programa Adobe Premiere Pro. A análise das imagens permitiu verificar com mais clareza manifestações também de apoio a Lula.

As características arquitetônicas do espaço mostraram que o vídeo foi gravado no Mercado Público de Florianópolis, cujas imagens foram consultadas no site da prefeitura local.

O Comprova buscou a assessoria de imprensa do PT, o autor da postagem que viralizou no TikTok, e consultou reportagens em veículos de imprensa sobre a presença de Lula e Alckmin em Porto Alegre, no início do mês, para ato político numa casa de shows.

Lula e Alckmin não estiveram no Mercado Público de Porto Alegre

Embora a postagem afirme que Lula e Alckmin foram ao Mercado Público de Porto Alegre, as imagens não mostram, em nenhum momento, a presença dos políticos. Também não foram encontradas reportagens em veículos de imprensa ou quaisquer publicações em redes sociais que pudessem comprovar a visita deles ao espaço.

Lula chegou a Porto Alegre no dia 1º de junho, para participar, ao lado de Geraldo Alckmin, de um evento na casa de shows Pepsi on Stage. Esta foi a primeira viagem com os dois juntos na pré-campanha eleitoral.

Questionada pelo Comprova, a assessoria de imprensa do Partido dos Trabalhadores no Rio Grande do Sul afirmou: “Lula e Alckmin não tiveram nenhuma agenda no mercado público de Porto Alegre. Além disso, não foram hostilizados em nenhum momento das suas agendas, hostilizados em deslocamento, hotel ou coisa do tipo. Trata-se de informação mentirosa”.

Segundo a assessoria, Lula e Alckmin chegaram a Porto Alegre na manhã de 1º de junho e deixaram a cidade na tarde do dia seguinte. Sobre a agenda dos dois no município, a assessoria afirmou que, “para além do ato no Pepsi, tiveram reuniões e encontros com setores da educação, cooperativismo e cultura em local fechado. E uma reunião com as representações estaduais dos partidos que apoiam o movimento ‘Vamos Juntos pelo Brasil’”.

Vídeo foi gravado no Mercado Público de Florianópolis em 2018

Ao contrário do que alegam as peças de desinformação, o vídeo que circula nas redes sociais foi gravado no Mercado Público de Florianópolis e não em Porto Alegre.

A partir da comparação de imagens do Mercado de Florianópolis e capturas de tela do vídeo verificado, foi possível observar elementos em comum, como as portas verdes dos estabelecimentos, os arcos que ficam na parte superior das entradas e a cobertura do espaço.

| A primeira foto mostra o espaço do Mercado Público de Florianópolis e está disponível no Portal Municipal de Turismo da cidade: https://turismo.pmf.sc.gov.br/o-que-fazer/item/mercado-publico. A segunda foto é uma captura de tela do vídeo verificado pelo Comprova.

Além disso, na gravação aparece uma porta ligeiramente mais larga que as outras, que pode ser vista também em outras fotos do Mercado Público de Florianópolis.

| Foto do Mercado Público de Florianópolis, em Santa Catarina. Disponível em: https://guia.melhoresdestinos.com.br/mercado-publico-de-florianopolis-65-440-l.html 

Questionada novamente sobre eventual presença de Lula e Alckmin no Mercado de Público de Florianópolis, a assessoria do PT no Rio Grande do Sul negou que eles tenham ido à cidade: “Eles sequer foram a SC (Santa Catarina)”.

Apesar da estrutura do Mercado Público de Porto Alegre também ser amarela, as portas não são verdes como as que aparecem no vídeo:

| Foto da entrada do Mercado Público de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, feita por Giulian Serafim, da Secretaria Municipal de Planejamento e Assuntos Estratégicos da Prefeitura de Porto Alegre. Disponível em: https://prefeitura.poa.br/smpae/noticias/pintura-externa-do-mercado-publico-iniciara-nesta-terca-feira.

A cobertura do espaço também é diferente da que aparece no local do vídeo. A comparação pode ser feita com postagem na conta no Instagram do mercado de Porto Alegre:

Além disso, o vídeo foi filmado em 2018, conforme mostram diversas outras gravações do mesmo momento feitas em ângulos diferentes e postadas em redes sociais (aquiaqui e aqui). Nestes registros, mostrados em checagem da Agência Lupa, é possível identificar elementos comuns ao vídeo verificado pelo Comprova, como um homem usando uma blusa amarrada nos ombros.

| Captura de tela do vídeo publicado no TikTok e verificado pelo Comprova

| Captura de tela do vídeo encontrado no Twitter, com qualidade de imagem superior à postagem do TikTok

| Captura de tela do vídeo encontrado no YouTube pela Agência Lupa

Vídeo também mostra manifestações de apoio a Lula

O mesmo vídeo postado no TikTok, aqui verificado, foi publicado por diversos outros usuários do Twitter. As postagens localizadas vão do dia 4 ao dia 8 de junho. Nelas, a qualidade da imagem é superior à postagem do TikTok, o que permite a identificação mais precisa das manifestações também de apoio a Lula. Assim, não se pode valer do vídeo como uma amostra de reprovação da população ao ex-presidente, o que afirma a postagem no TikTok com o objetivo de desacreditar as pesquisas eleitorais que apontam Lula em primeiro lugar nas intenções de voto.

No tuíte do dia 4 de junho, por exemplo, é mais clara a imagem do momento em que uma pessoa se vira para os manifestantes que gritam “ladrão” com um cartaz em que se lê “Lula Livre!”:

O mesmo momento do vídeo no TikTok que, além da qualidade ruim da imagem, ainda traz inscrições que prejudicam a visualização:

Além da placa “Lula livre!”, o vídeo analisado nas postagens no Twitter também permite perceber com mais clareza o sinal de “L” que um homem faz com a mão – símbolo de apoio a Lula. Vê-se ainda pessoas com bandeiras e roupas vermelhas, a cor do PT, partido do ex-presidente. Imagem do vídeo postado no tuíte do dia 8 de junho:

A imagem do momento na postagem do TikTok:

A presença também de manifestantes pró-Lula pode ainda ser constatada pelo áudio do vídeo, marcado como original pelo TikTok, em que é possível ouvir gritos de apoio ao ex-presidente: “Olê, olê, olê, olá, Lula, Lula”. No entanto, os gritos de “ladrão” são mais evidentes devido à proximidade da pessoa que grava o vídeo do grupo que protesta contra Lula.

Por que investigamos: O Comprova investiga postagens que viralizam na internet com conteúdo envolvendo as eleições presidenciais deste ano, a realização de obras públicas e a pandemia da covid-19. Conteúdos como este aqui verificado podem atrapalhar a lisura do processo eleitoral por desacreditar as pesquisas de intenção de voto registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Outras checagens sobre o tema: A Agência Lupa investigou um vídeo semelhante ao verificado pelo Comprova e chegou à mesma conclusão de que o conteúdo é antigo e não foi gravado em Porto Alegre.

O Comprova mostrou recentemente que áudio sobre fraudes em pesquisas é de comediante, não de ex-diretor do Datafolha, que post no Facebook engana ao divulgar atos pró-Bolsonaro de 2021 como se fossem atuais e que vídeos antigos foram usados para enganar sobre adesão a atos pró-Bolsonaro em 1 de maio. No Comprova Explica, foi mostrado que pesquisas eleitorais seguem métodos científicos, ao contrário de enquetes.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.