Idosa de SC teve título cancelado por não comparecer a recadastramento

Idosa de SC teve título cancelado por não comparecer a recadastramento

TRE-SC informou que mulher mencionada em vídeo viral não vota desde 2016; caso tem sido compartilhado para espalhar a alegação falsa de que TSE estaria cancelando títulos de maiores de 70 anos

Pedro Prata

29 de abril de 2022 | 18h43

É falso que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) esteja cancelando o título de eleitor de pessoas idosas. Um vídeo que circula nas redes sociais causa confusão ao associar o caso de uma senhora de Santa Catarina com essa medida inventada e que já foi desmentida pelo Estadão Verifica.

No vídeo, uma mulher que se identifica como Adriana Assing diz que o título de eleitor de sua mãe está cancelado desde 2016. Ela questiona a informação, alegando que sua mãe teria votado em Jair Bolsonaro (PL) nas eleições de 2018, além de ter participado dos pleitos municipais de 2016 e 2020.

O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) contesta essa alegação. Em nota, informou que dados do sistema da Justiça Eleitoral mostram que a senhora não votou nos pleitos de 2016, 2018 e 2020. Disse também que o título de eleitor está cancelado desde 2016 porque ela não compareceu à revisão de eleitorado de São José, onde mora.

TRE-SC disse que o título está cancelado desde 2016 por não comparecer à revisão do eleitorado. Foto: Reprodução

A revisão do eleitorado é a convocação dos eleitores inscritos em uma zona eleitoral para verificar a regularidade de sua inscrição e, assim, saber o número de eleitores inscritos. Naquele ano, São José foi um dos sete municípios de Santa Catarina a exigir o cadastro da biometria de 100% dos eleitores. Quem não realizasse o cadastro das digitais, teria o título de eleitor cancelado.

No vídeo, Adriana Assing alega que sua mãe teria feito o cadastramento: “Fui eu (Adriana), minha filha mais velha e ela (a mãe). Fila, fila que não acabava”. De fato, nos últimos dias antes do prazo limite, 22 de março de 2016, foram registradas longas filas para realizar o procedimento, informou o portal NSC Total. Apesar disso, o registro da senhora do vídeo continua aparecendo como sem biometria cadastrada no site da Justiça Eleitoral.

O Estadão Verifica entrou em contato com Adriana Assing. Ela chegou a responder  uma mensagem inicial, mas parou de responder depois que a reportagem pediu que ela mostrasse comprovantes de votação das últimas eleições. No vídeo viralizado, ela afirma que levou a mãe a um cartório eleitoral e que ela teve o título de eleitor regularizado. Como ela mostra o documento dela nas imagens, foi possível confirmar no site da Justiça Eleitoral que a situação eleitoral da idosa é regular, mas ainda sem biometria. Como já mostrou o Estadão Verifica, o cadastro biométrico está suspenso desde 2020 devido à pandemia de covid-19.

Idosa foi a um cartório e regularizou sua situação eleitoral; ela segue sem biometria. Foto: Reprodução

Leitores solicitaram a checagem deste conteúdo pelo WhatsApp do Estadão Verifica, 11 97683-7490. O vídeo também foi checado por Fato ou Fake e Aos Fatos.

Justiça eleitoral faz campanha pela regularização

A Justiça Eleitoral faz campanha nas redes sociais e na televisão incentivando os eleitores a consultarem sua situação e se regularizarem. Este ano, a data limite é até 4 de maio.

Sobre o pleito de 2016, o portal NSC Total informou que muitas pessoas deixaram para realizar a biometria para a última hora, “apesar das inúmeras campanhas do Tribunal Regional Eleitoral e do reforço do Exército”. As pessoas que compareceram no dia 22 de março mas não conseguiram realizar o cadastramento receberam uma senha para retornar em uma data extra, de 29 de março a 15 de abril.

O Estadão Verifica já mostrou ser falso que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estivesse cancelando o título de eleitor de pessoas com mais de 70 anos. Também comprovamos que um vídeo enganava ao dizer que um eleitor do Maranhão teve o título cancelado irregularmente.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.