Gerador de falsas manchetes impulsiona boataria sobre coronavírus e tráfico
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Gerador de falsas manchetes impulsiona boataria sobre coronavírus e tráfico

Postagem enganosa utiliza design de site de notícias

Tiago Aguiar

10 de março de 2020 | 16h08

Leia a versão em espanhol

Não é verdade que a primeira pessoa infectada com o coronavírus no Rio de Janeiro tenha sido baleada por traficantes. O boato que se espalhou no Facebook usa uma montagem com um gerador de manchetes do site G1. O primeiro caso de infecção no Estado foi confirmado na semana passada. Na segunda-feira, 9, foram confirmados mais cinco afetados pelo novo coronavírus; o número de infectados no Rio de Janeiro chegou a oito.

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio informou na última quarta-feira, 4, que o primeiro caso de Covid-19 no Estado é de uma  mulher brasileira de 27 anos que mora em Barra Mansa e esteve na Europa. Ela passou por Itália e Alemanha entre 9 e 23 de fevereiro e apresentou sintomas como tosse, coriza e falta de ar no dia 17 de fevereiro. No dia 2 de março, a paciente buscou atendimento médico no Brasil, segundo o Ministério da Saúde.

Atualmente, outros 119 pacientes são monitorados com suspeita de coronavírus no Rio de Janeiro.

Reprodução da postagem que circula no Facebook. Foto: Reprodução/Facebook

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

Versão em espanhol

Texto traduzido pelo LatamChequea, grupo colaborativo que reúne dezenas de fact-checkers da América Latina no combate à desinformação relacionada ao novo coronavírus.

Generador de falsos titulares impulsa rumores sobre el coronavirus y el tránsito

No es verdad que la primera persona infectada con coronavirus en Rio de Janeiro haya sido baleada por traficantes. El rumor que se propagó por Facebook usa un montaje con un generador de titulares del sitio web G1. El primer caso de infección en el estado de Rio fue confirmado la semana pasada. El lunes 9, se confirmaron otros cinco afectados por el nuevo coronavirus. El número de infectados en Rio de Janeiro llegó a ocho.

La Secretaría Estadual de Salud de Rio informó el pasado miércoles 4 que el primer caso de Covid-19 en el estado es de una mujer brasileña de 27 años que vive en Barra Mansa y estuvo en Europa. Pasó por Italia y Alemania entre el 9 y el 23 de febrero, y presentó síntomas como tos, secreción nasal y falta de aire el 17 de febrero. El día 2 de marzo, la paciente buscó atención médica en Brasil, según el Ministerio de Salud. Actualmente, son monitoreados otros 119 pacientes bajo sospecha de coronavirus en Rio de Janeiro.

 

Tudo o que sabemos sobre:

coronavírusRio de Janeiro [cidade RJ]

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: