Foto tirada na Austrália é usada em postagem que busca desacreditar universidade federal
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Foto tirada na Austrália é usada em postagem que busca desacreditar universidade federal

Imagem com pessoas nuas foi tirada em 2001 e não tem a ver com protestos contra cortes em institutos de ensino superior

Alessandra Monnerat

22 de maio de 2019 | 10h49

Em 2002, fotógrafo americano Spencer Tunick realizou performance com pessoas nuas no Ibirapuera. Foto: SEBASTIAO MOREIRA/AE/27-04-2002

Um boato falso sobre um protesto com pessoas nuas em universidades de Minas Gerais voltou a ser compartilhado no Facebook nesta semana, após manifestações nacionais contra cortes nos orçamentos dos institutos federais de ensino superior. A desinformação usa uma foto tirada em Melbourne, na Austrália, em 2001, e já havia sido checada pelo Estadão Verifica, por meio do projeto Comprova, durante as eleições.

Com a legenda “alunos e professores de universidades de Minas Gerais fazem protesto contra Bolsonaro”, a publicação no Facebook já teve mais de 182 mil compartilhamentos desde outubro do ano passado. Nas últimas 24 horas, outras 3,4 mil pessoas compartilharam a desinformação.

Para encontrar o contexto original da foto, basta utilizar uma ferramenta de busca reversa de imagem. No Google Imagens, por exemplo, o usuário pode carregar uma imagem ou pesquisar pelo link da foto. Os resultados mostram os sites em que aquela imagem aparece.

Ao buscar a foto que viralizou no Facebook, é fácil comprovar que a reunião de pessoas peladas ocorreu no dia 7 de outubro de 2001. Segundo informou o jornal australiano The Daily Telegraph, trata-se da sessão de fotos “Naked City” (Cidade Nua, em inglês) para o artista Spencer Tunick. Ele é conhecido por tirar fotografias de grandes aglomerações de corpos nus.

Na época em que o boato começou a circular, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) também negou, por meio de nota, que a foto fosse de uma manifestação em seu campus. A universidade comunicou que lamenta que “o espaço intermidiático da cultura em rede esteja sendo povoado de inverdades”.

 

Tudo o que sabemos sobre:

ufmgfake newsbolsonaromec

Tendências: