Foto de Rodrigo Maia em evento com Pezão é de 2018
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Foto de Rodrigo Maia em evento com Pezão é de 2018

Imagem de encontro entre então governador do Rio e atual presidente da Câmara foi compartilhada como se fosse recente

Pedro Prata

09 de setembro de 2020 | 19h01

Uma foto de 2018 que mostra um encontro entre o ex-governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão (MDB) e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), circula nas redes sociais como se fosse atual. A publicação com a foto fora de contexto recebeu 21,2 mil compartilhamentos no Facebook e também foi postada no Twitter.

“Festinha desse final de semana; aniversário na casa do Pezão (em prisão domiciliar) com convidados ilustres! Olha o presidente da Câmara aí. Quadrilha unida”, diz a legenda da publicação no Facebook, feita em 5 de setembro. Pezão faz aniversário em 29 de março.

O mecanismo de busca reversa do Google permite encontrar outras vezes em que a imagem foi publicada anteriormente. O registro mais antigo identificado pela pesquisa é de 2 de março de 2018, no site Diário do Vale.

Foto é de Maia em evento de articulação eleitoral em 2018. Foto: Reprodução

Naquele dia, o portal publicou a matéria “Rodrigo Maia convida Neto para ser vice de Cesar Maia para governador”. O texto informa que a reunião mostrada na foto teria ocorrido na casa do ex-prefeito de Volta Redonda (RJ) Antônio Francisco Neto. A reportagem afirma que, além de Pezão, estiveram presentes 13 prefeitos, três deputados federais.

Pezão seria preso preventivamente naquele mesmo ano, em 29 de novembro. Ele é réu em uma investigação que apura recebimento de propinas mensais entre 2007 e 2014, período em que era vice-governador de Sérgio Cabral (MDB), condenado a mais de 200 anos de prisão por corrupção.

Em dezembro de 2019, a Sexta Turma do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) acolheu habeas corpus da defesa do ex-governador e substituiu a prisão preventiva por medidas cautelares. Assim, Pezão saiu da cadeia, mas foi obrigado a recolhimento domiciliar noturno e a usar tornozeleira eletrônica. Ele também ficou impedido de ocupar cargos públicos.

Rodrigo Maia

Maia atualmente é o presidente da Câmara dos Deputados, cargo que ocupa desde julho de 2016. Eleito deputado federal pelo Rio de Janeiro, está no quinto mandato.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, e Rodrigo Maia disputam protagonismo de pautas econômicas. Foto: Gabriela Biló/Estadão

A imagem fora de contexto analisada pelo Verifica foi resgatada em um momento em que Maia disputa o protagonismo de reformas com o ministro da Economia, Paulo GuedesRecentemente, Maia afirmou enfrentar resistência por parte de Guedes. Nos primeiros dias de setembro, o presidente da Câmara disse não ter mais interlocução com o titular da Economia.

“Eu não tenho conversado com o ministro Paulo Guedes. Ele tem proibido a equipe econômica de conversar comigo. A gente tinha um almoço com o Esteves (Colnago, chefe da Assessoria Especial de Relações Institucionais) e com o secretário do Tesouro (Bruno Funchal) para tratar do Plano Mansueto, e os secretários foram proibidos de ir à reunião”, disse Maia em entrevista à GloboNews.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: