Foto antiga de protesto no Egito circula nas redes como se fosse de manifestações em Cuba
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Foto antiga de protesto no Egito circula nas redes como se fosse de manifestações em Cuba

Essa e outras imagens são compartilhadas em meio aos maiores protestos na ilha desde 1994

Pedro Prata

15 de julho de 2021 | 17h17

Perfis nas redes sociais compartilham fotos e vídeos fora de contexto como se fossem dos protestos contra a crise sanitária e econômica de Cuba. Uma das imagens mais virais, na verdade, mostra um protesto no Egito, em 2011. Ela foi compartilhada ao menos 1,9 mil vezes no Facebook antes de ser apagada.

A imagem mostra uma multidão numa avenida beira-mar e, segundo a legenda, mostraria os protestos cubanos. “Assim está o Malecón habanero”, diz uma mensagem compartilhada pelo WhatsApp e que foi enviada para o número do Estadão Verifica, (11) 97683-7490.

Cuba realmente enfrenta protestos, os maiores desde 1994. Mas um detalhe na imagem levanta suspeitas sobre sua veracidade: algumas pessoas na foto estão segurando bandeiras com as cores branca, vermelha e preta. Já a bandeira de Cuba tem as cores branca, vermelha e azul.

Foto: Reprodução

Utilizamos o mecanismo de pesquisa reversa do buscador Yandex para identificar em quais situações a foto foi publicada anteriormente. Com isso, encontramos a imagem no site Animal Político, em 2011. Segundo o portal de notícias mexicano, a cena mostra protestos no Egito contra o governo de Hosni Mubarak.

Procuramos a foto no banco de imagens da Associated Press, uma vez que o site informa que a foto foi clicada por eles. De fato, a imagem está disponível neste link. O fotógrafo é Tarek Fawzy.

Imagem é de 2011, clicada por Tarek Fawzy. Foto: AP/Reprodução

A legenda informa se tratar de um protesto na cidade de Alexandria, a terceira maior do Egito. Na ocasião, o então presidente Hosni Mubarak se recusou a deixar o cargo, mas entregou os poderes administrativos para o seu vice.

Outras imagens são tiradas de contexto

Esta não foi a única imagem tirada de contexto. No WhatsApp, circula um vídeo que mostra dois policiais atirando em um grupo de pessoas que aparentemente protestam na rua. Ele é compartilhado com uma mensagem que diz “Cuba: População continua nas ruas pelo fim do Comunismo e por liberdade”.

Novamente, um detalhe chama a atenção e permite questionar a veracidade do vídeo. Um grande número de pessoas está tranquilamente acompanhando a cena e mesmo quando os policiais atiram no grupo que protesta, a calma se mantém. Além disso, é possível ver que nas fachadas das lojas ao fundo há palavras em inglês como “computer” e “beauty”. O esperado seria que as palavras fossem em espanhol, língua nacional de Cuba.

Fachadas das lojas estão escritas em inglês. Foto: Reprodução

Baixamos o vídeo e utilizamos o mecanismo de busca reversa do Google Imagens. Desta vez, encontramos uma checagem do site indiano BOOM que desmonta o boato. A cena mostra uma simulação de operação antiterrorista no estado de Jharkhand, na Índia, em 2017. Por lá, as imagens também foram compartilhadas fora de contexto, dois anos depois, como se mostrassem uma reação real da polícia a manifestações contra uma lei que estava sendo discutida no Parlamento.

Site de checagens ‘BOOM’ mostrou que vídeo é de uma simulação da polícia indiana, em 2017. Foto: BOOM/Reprodução

Outro vídeo, publicado inicialmente no TikTok e também compartilhado no WhatsApp, mostra uma multidão cercando e depredando um carro blindado da polícia. A legenda diz “Cuba acordou, glória a Deus! Mito 2022”.

Prestando atenção, é possível ver que a avenida onde a cena é filmada possui o nome “Piñera” desenhado no asfalto. Este é o sobrenome de Sebastián Piñera, presidente do Chile desde 2018. Isso é um indicativo de que o vídeo foi gravado lá, não em Cuba.

O nome do presidente chileno escrito no asfalto é indicativo de que vídeo não foi gravado em Cuba. Foto: Reprodução

Procuramos no Google pelas palavras-chave “Manifestantes atacando un coche de policía Chile”. O vídeo foi publicado pelo jornal O Globo na reportagem “Vídeo mostra caminhão policial acuado por centenas de manifestantes no Chile”, em 13 de novembro de 2019. Naquele ano, milhares de chilenos saíram às ruas para mostrar seu descontentamento em questões como saúde, educação e moradia. Diante da mobilização nacional, o governo chileno acabou anunciando um processo de convocação de um Congresso Constituinte para preparar uma nova Constituição.

Antes de repassar imagens recebidas no WhatsApp, fique atento a sinais como os citados nesta verificação. É muito comum que fotos antigas sejam tiradas de contexto para causar confusão. Veja aqui um passo a passo de como fazer busca reversa de imagens, uma ferramenta gratuita para descobrir a origem de fotos.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.