Encenação de funeral ocorreu na Jordânia, não na Faixa de Gaza
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Encenação de funeral ocorreu na Jordânia, não na Faixa de Gaza

Vídeo viralizou após escalada de violência entre Palestina e Israel; na realidade, gravação mostra pegadinha para escapar de lockdown

Pedro Prata

21 de maio de 2021 | 18h42

O vídeo de um enterro falso na Jordânia foi tirado de contexto nas redes sociais e é compartilhado como se tivesse sido filmado em um protesto de palestinos. Este conteúdo viralizou após a escalada de violência entre Hamas e Israel na Faixa de Gaza.

A mensagem que acompanha o vídeo diz: “Os palestinos faziam um protesto contra Israel. Quando tocou a sirene de alerta de foguetes, todo mundo saiu correndo, até o morto!”. Leitores solicitaram a checagem deste conteúdo pelo WhatsApp do Estadão Verifica, 11 97683-7490.

Jovens encenaram enterro para driblar lockdown na Jordânia. Foto: Reprodução

Uma busca reversa no Google permitiu encontrar o vídeo postado no Facebook em 23 de março de 2020. Portanto, são imagens antigas, que não poderiam ter sido gravadas durante o conflito atual — interrompido por um cessar-fogo aprovado nesta quinta-feira, 20.

Ao final da gravação analisada, é possível ouvir risadas. Isso levanta a suspeita de que as imagens não teriam sido gravadas num momento tenso de confrontos armados.

O jornal norte-americano USA Today também checou este conteúdo. A verificação cita uma notícia de 24 de março do site Al Roeya, dos Emirados Árabes Unidos, para afirmar que o vídeo era uma pegadinha. Jovens na Jordânia simularam o enterro como forma de driblar o lockdown que naquele momento estava em vigor no país por causa da pandemia de covid-19.

Portanto, o vídeo não é atual nem foi gravado na Palestina. Ele também não mostra pessoas forjando um funeral para criticar Israel.

Este conteúdo também foi checado pela iniciativa de checagens do India Today e pela agência AFP.

Violência entre Israel e Palestina

Esta semana foi marcada por uma escalada na violência entre Israel e Hamas na Faixa de Gaza. Nesse ambiente, o conflito foi alvo de desinformação nas redes. O Estadão Verifica já mostrou ser falso que um atentado forjado tivesse sido gravado na Palestina. Na verdade, trata-se de uma operação policial de inteligência no Iraque.

Como mostrou o The New York Times, até mesmo o porta-voz do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu tuitou um vídeo que afirmava ser de integrantes do Hamas na Faixa de Gaza. No entanto, as evidências mostram que o vídeo era de 2018 e provavelmente foi gravado na Síria ou na Líbia.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.