É montagem vídeo do prefeito de Votuporanga xingando a população por causa da pandemia de covid-19
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É montagem vídeo do prefeito de Votuporanga xingando a população por causa da pandemia de covid-19

Dublagem alterou o áudio original publicado por João Eduardo Dado Leite de Carvalho no interior paulista

Pedro Prata

26 de novembro de 2020 | 17h08

É montagem um vídeo no qual João Eduardo Dado Leite de Carvalho (Solidariedade), prefeito de Votuporanga, no interior paulista, xinga a população. O áudio com as ofensas é uma dublagem incluída digitalmente em vídeo postado na página oficial da prefeitura nas redes sociais. Este conteúdo foi compartilhado ao menos 268,5 mil vezes no Facebook.

Prefeito foi alvo de montagem em meio à pandemia de covid-19. Foto: Prefeitura de Votuporanga/Reprodução

No material alterado, João Dado parece reclamar das pressões tanto para abrir quanto para fechar o comércio na cidade. Ele ainda teria proferido palavrões contra a população.

O vídeo original foi postado no Facebook do prefeito em 16 de julho de 2020. Nele, Dado e o secretário municipal da Fazenda, Diogo Mendes Vicentini, fazem um balanço das contas públicas municipais, afetadas pela pandemia. O prefeito também cita dados de contaminados e internações por covid-19 na região.

Por meio de nota, a prefeitura reiterou “que o material não é verídico e lamenta o ocorrido”.

Uma comparação entre na sequência entre os gestos feitos pelo prefeito no vídeo original e no boato permite concluir se tratar da mesma situação. Confira:

Frames do vídeo viral:

Frames do vídeo viral. Foto: Reprodução

Frames do vídeo original:

Frames do vídeo original. Foto: Prefeitura de Votuporanga/Reprodução

Este conteúdo também foi checado pelo Boatos.org.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

Tudo o que sabemos sobre:

fake news [notícias falsas]coronavírus

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.