É montagem foto de Dilma jovem ao lado de Fidel Castro
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É montagem foto de Dilma jovem ao lado de Fidel Castro

Imagem foi alterada digitalmente para incluir o rosto da petista

Pedro Prata

13 de outubro de 2020 | 15h26

É montagem uma imagem que mostra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) jovem ao lado do falecido líder cubano Fidel Castro. A petista até chegou a se encontrar com o ex-presidente de Cuba em 2012, mas a foto editada para incluir o rosto de Dilma foi tirada quando ela tinha 11 anos. Esta peça de desinformação foi compartilhada ao menos 5,3 mil vezes no Facebook.

Rosto da ex-presidente Dilma foi incluída digitalmente em foto. Foto: Reprodução

A foto original está disponível no banco Getty Images. Ela foi clicada por John Duprey, fotógrafo do NY Daily News, em 22 de abril de 1959. Naquele ano, Dilma tinha 11 anos.

A legenda diz que Fidel Castro estava em Nova York e se encontrou com Grayson Kirk, presidente da Universidade de Columbia. A mulher que aparece ao seu lado é loira. Detalhes em comum na foto original e na imagem do boato permitem concluir se tratar da mesma situação: o vestido da mulher, seu colar, os detalhes da cortina ao fundo e uma bandeira próxima da parede.

Elementos em comum permitem concluir se tratar da mesma imagem. Foto: Reprodução | Getty Images/Reprodução

Para identificar a origem da fotografia utilizada, o Estadão Verifica utilizou o mecanismo de busca reversa de imagens do Google. Ele permite identificar outras vezes em que as fotos foram utilizadas anteriormente.

Não é a primeira vez que a ex-presidente Dilma é alvo de desinformação. O Estadão Verifica já checou postagens que acusavam a petista de ter participado de um assalto a banco em São Paulo durante a ditadura. A alegação é falsa.

Este boato também foi checado por Agência Lupa.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: