É montagem capa da Charlie Hebdo com caricaturas de Dias Toffoli e Alexandre de Moraes
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É montagem capa da Charlie Hebdo com caricaturas de Dias Toffoli e Alexandre de Moraes

Imagem adulterada que viralizou no Facebook e no WhatsApp critica censura imposta aos sites Crusoé e O Antagonista

Alessandra Monnerat

23 de abril de 2019 | 11h21

A foto original da capa da revista francesa Charlie Hebdo foi publicada pela Reuters. Foto: Eric Gaillard/Reuters/Reprodução/Facebook

É montagem uma imagem da capa da revista satírica francesa Charlie Hebdo com caricaturas dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli e Alexandre de Moraes. No Facebook e no WhatsApp, pessoas têm compartilhado uma foto alterada, que faz críticas à censura judicial imposta às publicações brasileiras Crusoé e O Antagonista.

A revista digital e o site veicularam documento em que o empreiteiro Marcelo Odebrecht diz que o codinome “amigo do amigo do meu pai” faz referência ao presidente do STF, Toffoli. O ministro Alexandre de Moraes determinou que as reportagens fossem excluídas, mas revogou a decisão três dias depois.

Para encontrar a foto original com a capa da Charlie Hebdo, basta fazer uma pesquisa reversa de imagem (aprenda como usar aqui). A imagem foi feita pelo fotógrafo Eric Gaillard, da Reuters, e foi republicada em vários sites de todo o mundo. Além disso, a capa falsa que circula nas redes sociais tem sinais claros de alteração: a iluminação do papel é diferente do restante da fotografia e a mão da pessoa que segura a revista está mal recortada.

Outra forma de checar que o conteúdo não é verdadeiro é visitar a página da Charlie Hebdo. O site da publicação francesa mostra que a última edição semanal, do dia 18 de abril, faz referência ao incêndio na catedral de Notre Dame, em Paris. A censura à Crusoé e ao Antagonista ocorreu no dia 15 de abril e Moraes recuou da decisão no dia 18.

Este conteúdo foi selecionado para checagem por meio da ferramenta de fact checking do Facebook (entenda a parceria com o Estadão Verifica aqui). Leitores também enviaram a foto alterada ao nosso WhatsApp: (11) 99263-7900.

Checagens similares também foram publicadas pelos sites Boatos.Org e Aos Fatos.

Tendências: