É falso que Telegram tenha admitido que conversas vazadas de Moro e Deltan foram adulteradas

É falso que Telegram tenha admitido que conversas vazadas de Moro e Deltan foram adulteradas

Montagem no Facebook usou tweet verdadeiro da empresa, que informou não ter sido alvo de ataque hacker

Alessandra Monnerat

15 de junho de 2019 | 10h36

É falso que o Telegram tenha comunicado, no Twitter, que a conversa entre Sérgio Moro e Deltan Dallagnol publicada pelo site The Intercept Brasil foi manipulada. Uma publicação no Facebook faz uma montagem com um tweet em que a empresa informa que não há evidências de que o aplicativo tenha sido hackeado. Veja o tweet original e o falso abaixo.

Montagem no Facebook usou tweet verdadeiro da conta do Telegram. Foto: Reprodução/Twitter/Facebook

A publicação enganosa contém diversos erros de ortografia, como na frase “admitimos que foram mudadas o texto por rackers”. Além disso, o tweet falso tem mais caracteres do que é permitido publicar na rede social — são 320, e o máximo por publicação é 280. Veja abaixo.

O Telegram informou, no Twitter, que é provável que os diálogos entre o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e o procurador da República Deltan Dallagnol tenham sido obtidos por meio de um malware (software clandestino) ou por falta de uma etapa extra de segurança, a verificação em dois fatores.

Após a publicação do site The Intercept Brasil, muitos boatos sobre o caso circulam nas redes sociais. O Estadão Verifica já desmentiu que um dos jornalistas responsáveis pela reportagem, Glenn Greenwald, tenha sido acusado de “atentar contra a segurança pública do Reino Unido”; e mostrou que havia versões falsas das conversas vazadas sendo compartilhadas na web.

Este conteúdo foi selecionado para checagem por meio da parceria entre Estadão Verifica e Facebook.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.