É falso que perfil de agressor de creche em SC tenha foto de Che Guevara e hashtag #ForaBolsonaro
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É falso que perfil de agressor de creche em SC tenha foto de Che Guevara e hashtag #ForaBolsonaro

Prints de conta impostora circulam em mensagens no WhatsApp e publicações no Facebook

Alessandra Monnerat

06 de maio de 2021 | 18h42

É falso que um perfil no Instagram com foto de Che Guevara e hashtag #ForaBolsonaro pertença ao autor do ataque à creche de Saudades (SC), Fabiano Kipper Mai. O Facebook confirmou ao Estadão Verifica que a conta era falsa e foi excluída por violar os termos de uso da plataforma. 

No WhatsApp e nas redes sociais, circulam imagens do perfil impostor. Mensagens que acompanham os prints insinuam que o ataque à creche teria cunho político, e que o Instagram teria retirado a conta do ar por essa razão. Tudo isso é falso.

Instagram e Facebook, pertencentes à mesma empresa, têm regras de comunidade que proíbem perfis falsos e contas de indíviduos que participaram de ataques violentos.

Foram mortas duas mulheres e três bebês, com ferimentos causados por golpes de facão, nesta terça-feira, 3. A polícia analisa computadores, pen drive e videogame do agressor de 18 anos para traçar seu perfil. Até agora, a motivação do crime não foi divulgada. 

Apuração do Estadão indica que não há no inquérito policial qualquer histórico de violência por parte de Kai. “Até agora, não temos nada que ateste problemas de qualquer natureza sobre a conduta pessoal dele”, afirmou o delegado Ricardo Casagrande, da regional de Chapecó. “Os depoimentos coletados vão dar um norte em relação à conduta do jovem e isso vai ser confrontado com provas técnicas, como objetos e bens apreendidos.”

Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros de Pinhalzinho-SC, capitão Leonardo Ecco, o agressor teria dito aos agentes que planejava o ataque há muito tempo. “Ele disse para a nossa equipe que estava planejando o ataque há mais de dez meses”, afirmou.

O site Aos Fatos publicou uma checagem semelhante. Leitores solicitaram a verificação deste conteúdo por WhatsApp, 11 97683-7490.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.