As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É falso que o general Braga Netto seja autor de carta contra o STF que circula no WhatsApp

Exército e Clube Militar negam ter relação com corrente que circula nas redes sociais

Victor Pinheiro, especial para o Estadão

02 de dezembro de 2020 | 12h31

Mensagens que circulam no Facebook e no WhatsApp e convocam uma mobilização militar contra o Supremo Tribunal Federal (STF) têm sido falsamente atribuídas a generais do Exército Brasileiro. O conteúdo já desmentido anteriormente por uma checagem do Estadão Verifica, mas foi reeditado com foto e menção ao ministro-chefe da Casa Civil, general Walter Braga Netto, para insinuar a autoria ou apoio do militar ao texto fabricado.

A nova versão do boato apresenta o questionamento “Vai mandar prender o General Walter Braga Netto?” e introduz a mensagem falsa com o título “CARTA BOMBÁSTICA POSTADA NO “BRASIL PELO EXARNET”, BLOG FECHADO DO EXÉRCITO.*”.

O texto foi enviado por leitores ao WhatsApp do Estadão Verifica, 11 97683-7490.

Apesar da referência ao ministro-chefe da Casa Civil, a assinatura da carta é falsamente atribuída ao general Gilberto Pimentel.  A mensagem identifica o suposto autor como general de brigada das forças armadas e presidente do Clube Militar. Além disso, usa expressões como “Nós das FFAA”, “Convoco aqui, como Chefe de Instituição Militar” e “Meus amigos de farda” na voz do militar.

Em nota ao Estadão Verifica, a assessoria da Casa Civil esclareceu que o conteúdo é “fake” e não é de autoria do general Walter Braga Netto. No ano passado, o Clube Militar já havia classificado a mensagem como “fake news”.

Como apurado pelo Estadão anteriormente, Gilberto Pimentel também não é o atual presidente do Clube Militar e nem general de brigada. Ele ocupa a posição de general de divisão e representou o clube por dois mandatos entre 2014 e 2018. O atual comandante do Clube Militar é o general de divisão Eduardo José Barbosa, segundo o site da associação

As mensagens também enganam ao apresentarem o Exarnet como um “blog fechado” do Exército Brasileiro. O portal, na verdade, é uma página para reservistas das Forças Armadas consultarem informações sobre seus compromissos com o Serviço Militar.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.