É falso que enfermeira tenha sido demitida após filmar leitos vazios em hospital na Bahia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É falso que enfermeira tenha sido demitida após filmar leitos vazios em hospital na Bahia

Vídeo foi gravado em março e imagens mostram a ampliação de leitos na unidade para o tratamento de covid-19 do Instituto Couto Maia (ICOM), hospital de referência para o tratamento da doença na Bahia; a Secretaria da Saúde nega a demissão da funcionária

Projeto Comprova

24 de abril de 2020 | 17h58

Esta checagem foi produzida pela coalizão do Comprova. Leia mais aqui.

É falsa a informação divulgada em redes sociais de que uma enfermeira do Instituto Couto Maia (ICOM), hospital de referência para o tratamento de covid-19 na Bahia, tenha sido demitida esta semana por filmar a UTI com apenas dois pacientes infectados pelo novo coronavírus. Os posts usam um vídeo feito por uma funcionária do hospital mostrando os leitos vazios, alegando que as imagens são do dia 21 de abril de 2020. Mas a gravação foi feita em março e circula desde então. 

A legenda do vídeo afirma que a enfermeira se chama Sandra M. Guerra e que foi demitida depois da divulgação das imagens. A Secretaria da Saúde da Bahia confirmou que as imagens foram gravadas por uma enfermeira do ICOM em março, mas nega que ela tenha sido desligada do emprego. 

A diretora do ICOM, Ceuci Nunes, também desmentiu a publicação pelo Facebook. Segundo ela, as imagens foram registradas em 21 de março e mostram a ampliação de leitos na unidade para o tratamento de covid-19. Ela também afirmou que o nome informado na legenda não é o  da enfermeira que integra o quadro de funcionários da instituição.

Por que checamos isto?

Imagens enganosas de hospitais vazios têm sido comuns em postagens nas redes sociais que tentam minimizar os efeitos da pandemia de covid-19 no Brasil. O Comprova já verificou conteúdos similares há alguns dias. No caso desse vídeo, cuja verificação foi sugerida por leitores, ainda havia um outro elemento comum em conteúdos verificados recentemente, a figura de um governador. Governadores que se opõem a políticas de isolamento mais flexíveis têm sido alvo de grupos alinhados ao governo federal.

O vídeo verificado pelo Comprova circula desde o começo desta semana. Ele seria uma “prova” de que a pandemia do novo coronavírus está sendo superdimensionada pela imprensa e pelos governos estaduais. As imagens captadas pela enfermeira compõem uma montagem que inclui também a foto do governador da Bahia, Rui Costa (PT), em vídeo compartilhado pelo canal Jornavideo News, no YouTube. O canal costuma publicar conteúdo crítico ao trabalho da imprensa e às medidas de isolamento adotadas por governos e prefeituras para o combate à pandemia do novo coronavírus.

Falso para o Comprova é todo conteúdo inventado ou que tenha sofrido edições para mudar o seu significado original e divulgado de modo deliberado para espalhar uma mentira. 

Como verificamos?

Usamos a ferramenta de checagem de vídeo InVID para encontrar mais informações sobre as imagens divulgadas, tentando localizar a autoria da gravação original. Nos comentários da publicação do Jornavideo News, usuários acusam o canal de disseminar desinformação, com links que mostram que as imagens circulam desde março.

Entramos em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria da Saúde da Bahia, responsável pela administração do Instituto Couto Maia, para esclarecer se houve demissão. Também consultamos o posicionamento da diretora do ICOM, Ceuci Nunes, pelo Facebook e conversamos com Washington Vinagre, autor da postagem mais antiga do vídeo que conseguimos localizar no Facebook, em 23 de março.

O Comprova ainda está tentando falar com a autora do vídeo.

Imagens foram feitas em março e a profissional não foi demitida 

Por telefone e e-mail, a Secretaria da Saúde da Bahia confirmou que as imagens foram feitas no ICOM, em Salvador, em março de 2020. O hospital é uma referência para o tratamento de doenças infecto-contagiosas no Estado e, na época em que as imagens foram feitas, passava por um processo de adaptação para receber somentes casos de covid-19. Por isso, poucos leitos estavam ocupados. O ICOM tem 50 vagas na UTI. Segundo a secretaria, entre 60 e 70% estavam ocupadas na data da apuração, dia 23 de abril.

A secretaria confirmou que a mulher que aparece nas imagens é funcionária do hospital e negou que ela tenha sido demitida por causa do vídeo. Em um post no Facebook publicado no dia 22 de abril, a diretora do ICOM, Ceusi Nunes, disse que a enfermeira não se chama Sandra M. Guerra e negou a demissão.

A diretora do ICOM também confirmou que as imagens foram gravadas no hospital em 21 de março, durante ampliação da UTI: “Hoje os leitos estão todos cheios. Fake absurda”, afirmou. E pede aos seguidores: “Se recebeu desminta por favor (sic)”.

Postagens no Youtube e no Facebook em 23 de março confirmam que o vídeo já circula há pelo menos um mês. O autor de uma delas, Washington Vinagre, diz que recebeu as imagens de amigos e não conhece a enfermeira. Ele apagou o post depois de conversar com a equipe do Comprova.

Contexto

A Bahia já registrou 1.845 casos confirmados de covid-19 e 62 mortes. De acordo com balanço divulgado no dia 23 de abril, 231 pessoas estão internadas, 67 delas em UTIs. No dia em que o vídeo foi feito, 21 de março, o Estado tinha 41 casos de covid-19 e nenhuma morte. Naquele momento, a orientação para os doentes era permanecer em isolamento domiciliar.

Os governadores são o principal alvo do presidente Jair Bolsonaro, que critica o isolamento social determinado pelos Estados. Rui Costa, do PT, é presidente do Consórcio Nordeste, que reúne nove chefes governadores da região, e faz críticas à postura de Bolsonaro no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. “Ele parece que anda com a garrafa de gasolina na mão e o isqueiro na outra, tocando fogo onde ele passa”, reclamou em entrevista

O atrito mais recente foi no último domingo. Rui Costa foi um dos governadores que criticou a participação do presidente em manifestações contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal. 

Alcance

O vídeo com a legenda falsa circulou amplamente pelas principais redes sociais. Até o dia 23 de abril, os posts que mais se destacaram haviam tido 2,4 mil visualizações no Instagram e mais de 43 mil no Twitter. O vídeo com a foto do governador Rui Costa, publicado no canal Jornavideo News, foi assistido 10 mil vezes.

O post de Washington Vinagre, feito em março, chegou a ter 3 mil visualizações. Mas, depois de conversar com a equipe do Comprova, ele apagou a publicação.

A postagem da diretora do ICOM, Ceusi Nunes, esclarecendo a autoria do vídeo foi compartilhada 174 vezes.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: