É falso que Cruz Vermelha nos EUA tenha proibido doação de sangue por pessoas vacinadas contra a covid-19
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É falso que Cruz Vermelha nos EUA tenha proibido doação de sangue por pessoas vacinadas contra a covid-19

Grupos antivacina espalham boato para desacreditar imunizantes; não há qualquer restrição da entidade a quem já recebeu a injeção contra o coronavírus

Pedro Prata

25 de maio de 2021 | 16h30

É falso que a Cruz Vermelha dos Estados Unidos tenha dito que pessoas vacinadas contra a covid-19 não possam doar sangue. Esta alegação circulou primeiro nos Estados Unidos e é compartilhada nas redes sociais por grupos anti-vacinação como forma de desacreditar as vacinas.

Uma mensagem compartilhada no WhatsApp diz que a Cruz Vermelha Americana proibiu a doação de sangue de pessoas imunizadas, pois “a vacina destrói completamente seus anticorpos naturais” — o que é falso. Este conteúdo foi enviado por leitores ao Estadão Verifica por meio do número 11 97683-7490.

Doação de plasma convalescente não é a mesma coisa que doação sanguínea. Foto: Reprodução

Após esse boato viralizar, a Cruz Vermelha nos Estados Unidos publicou posicionamento no qual nega a veracidade da alegação. A entidade disse que segue as orientações da FDA, órgão regulador dos EUA, que afirmam que “na maior parte dos casos, não há intervalo de tempo necessário a se esperar para doar sangue após receber uma vacina contra a covid-19, desde que a pessoa esteja se sentindo bem e sem sintomas”.

Ainda segundo a Cruz Vermelha, não há qualquer restrição para quem recebeu as vacinas feitas de vírus inativado ou com a tecnologia de RNA. São elas, por exemplo, as vacinas da AstraZeneca, Janssen/J&J, Moderna, Novavax e Pfizer. Já pessoas que foram vacinadas com vacinas de vírus vivo atenuado precisam esperar um prazo de duas semanas para doar sangue. De acordo com o quadro de monitoramento de imunizantes da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas dois imunizantes possuem essa tecnologia e ambos estão na fase inicial de testes clínicos.

Doação de plasma convalescente

Postagens nas redes sociais também trazem um trecho recortado de um programa jornalístico. A apresentadora informa que pessoas vacinadas com covid-19 “não podem doar plasma convalescente para ajudar pessoas infectadas com covid-19 em hospitais”.

Portanto, é falso afirmar que se trataria de proibição à doação de sangue por pessoas vacinadas, mas sim do plasma convalescente. O plasma convalescente é um componente do sangue com altos níveis de anticorpos específicos, que podem ajudar doentes a combater uma determinada infecção — no caso, a covid-19.

A Cruz Vermelha esclareceu que não permite a pessoas vacinadas contra a covid-19 doarem o plasma convalescente. No entanto, “estes indivíduos podem doar outros produtos sanguíneos, como o sangue completo e plaquetas”.

A organização esclareceu ainda que parou de receber doações de plasma convalescente de covid-19 em 26 de março, porque a demanda hospitalar caiu e a indústria consegue atender a demanda.

O FDA autoriza pessoas vacinadas a doar plasma. O órgão levou em conta que pesquisas científicas recentes mostram que o plasma convalescente de pessoas que apresentam altos níveis de anticorpos contra a covid-19 melhoram o quadro clínico de pacientes que estejam com quadro inicial da doença.

Este conteúdo também foi checado por PolitiFact e Reuters.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.