É falso que China tenha comprado empresas estatais por meio de João Doria
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É falso que China tenha comprado empresas estatais por meio de João Doria

Texto que circula no Facebook e no WhatsApp cita também companhias privadas que não estão sob controle de chineses

Tiago Aguiar

14 de janeiro de 2021 | 20h11

É falso que a China tenha comprado empresas brasileiras — entre elas a Sabesp, a CPTM, a Comgás, a TV Bandeirantes e a CNN — por meio do governador de São Paulo, João Doria. As companhias citadas não foram vendidas para chineses. Leitores pediram a checagem deste conteúdo pelo WhatsApp do Estadão Verifica, 11 97683-7490.

A Companhia de Saneamento Básico de São Paulo (Sabesp) é uma empresa de economia mista cujo maior acionista é o o governo do Estado de São Paulo. A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) é uma empresa pública criada pela lei estadual nº 7.861, de 1992. Em nota, o governo estadual negou que as duas companhias tenham passado para o controle de chineses. “Nenhuma delas foi vendida para qualquer que seja o investidor”, diz o comunicado.

A Comgás não tem participação do governo de São Paulo: é uma entidade privada que possui concessão para distribuição de gás canalizado em municípios paulistas. A maior acionista é a Compass Gás & Energia, empresa do grupo brasileiro Cosan.

Todas as outras empresas citadas no conteúdo analisado não têm relação com o governo do Estado. A Band e a CNN Brasil legalmente não podem ser compradas pelo governo de outro país, por conta da Lei 10.610, de 20 de dezembro de 2002. A legislação limita a participação de capital estrangeiro em até 30% do capital total e votante. A Band já foi alvo de peças de desinformação sobre uma falsa venda para a China, checada pelo site Aos Fatos.

Além disso, não existe empresa brasileira chamada Aneel, como menciona o boato. No País atua a Enel, empresa italiana que adquiriu antigas estatais de distribuição em São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Goiás. Já a Agência Nacional de Energia Elétrica, cuja sigla é Aneel, não é uma empresa, e sim uma agência reguladora do governo federal.

O conteúdo checado faz referência ainda à uma “mineradora de extração de ferro em Minas Gerais”, mas não é possível saber qual. O texto também cita que a China teria intenção de pagar dívidas da TV Globo, comprar terras no Nordeste e comprar portos, incluindo o de Santos. Mas não há registro sobre negociações públicas desses objetos.

Na peça é mencionada também a compra do Terminal de Contêineres do porto de Paranaguá, no Paraná. Na realidade, 90% dele foi vendido por R$ 2,9 bilhões para a operadora de terminais China Merchants Port (CMPort), em fevereiro de 2018. A negociação foi oficializada antes de João Doria assumir o governo de São Paulo.

A primeira viralização do texto nas redes sociais foi em setembro de 2020 e voltou a circular neste mês.  Aos Fatos, Agência Lupa, Fato ou Fake e Boatos.org também verificaram esse conteúdo ano passado.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.