Desinformação sobre coronavírus pode vir até de médicos; veja o que dizem os órgãos oficiais
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Desinformação sobre coronavírus pode vir até de médicos; veja o que dizem os órgãos oficiais

Vídeo em que médico afirma que coronavírus não mata nem causa gripe está viralizando nas redes sociais

Alessandra Monnerat

11 de março de 2020 | 18h46

O vídeo em que um médico afirma que o novo coronavírus não mata e “nem sequer causa gripe” tem ganhado milhares de compartilhamentos nas redes sociais e obteve mais de 17 mil visualizações no YouTube. Essas alegações, no entanto, contrariam informações oficiais da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde.

O SARS-CoV-2 (nome oficial do novo coronavírus) pertence à subfamília dos Betacoronavírus. De acordo com o Ministério da Saúde, esses vírus são altamente patogênicos e responsáveis por causar síndrome respiratória e gastrointestinal. As manifestações clínicas da doença de coronavírus (COVID-19) podem variar de um simples resfriado até uma pneumonia grave. Os principais sintomas são respiratórios e o paciente pode apresentar febre, tosse e dificuldade para respirar.

Um estudo da OMS publicado no final de fevereiro, baseado em evidências de casos do novo coronavírus da China, apontou que a maioria das pessoas infectadas tem sintomas moderados e se recupera. Apenas 13,8% desenvolviam a forma grave da doença e 6,1%, a versão mais crítica, com sintomas como falha respiratória e falência de órgãos.

Voluntário distribui máscaras no Japão. Foto: REUTERS/Stoyan Nenov

Os pacientes com mais risco de desenvolver sintomas críticos eram maiores de 60 anos ou com condições pré-estabelecidas, como hipertensão, diabetes, câncer, doenças cardiovasculares e doenças respiratórias crônicas.

Documento

A OMS confirmou até esta quarta-feira 4.591 mortes pela doença de coronavírus ao redor do mundo e 124.908 infecções. Pelo menos 66.702 pessoas se recuperaram. No Brasil, são 52 casos registrados da doença, sendo 30 em São Paulo. A organização anunciou hoje que a rápida expansão do novo coronavírus pelo mundo se configura como uma pandemia, quando o estágio de transmissão de uma doença é global.

Tudo o que sabemos sobre:

coronavírusministério da saúdeoms

Tendências: