‘Demônio’ em telhado de igreja foi criado com efeitos especiais
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Demônio’ em telhado de igreja foi criado com efeitos especiais

Vídeo em que criatura alada escala telhado viralizou no Facebook; clipe foi produzido por youtubers nicaraguenses

Alessandra Monnerat

07 de julho de 2020 | 16h24

Um vídeo em que uma criatura alada escala a torre de uma igreja recebeu mais de 90 mil compartilhamentos no Facebook desde abril. A legenda afirma que o “demônio” apareceu na Itália em meio à pandemia do novo coronavírus, mas essa afirmação é falsa. Na verdade, o clipe foi publicado originalmente em um canal do YouTube que produz vídeos com efeitos especiais e personagens de ficção científica.

Estadão Verifica utilizou a ferramenta InVid, de checagem de vídeos, para encontrar o filme original. Dessa forma, chegamos ao canal JJPD Productions, que tem 321 mil inscritos. Os vídeos são produzidos pelos irmãos Joaquin e Jimmy Perez, que dizem criar “vídeos com efeitos especiais, vídeos de encontros paranormais, curta-metragens de ficção, relatos de terror e outros”.

O clipe com a “gárgula” foi publicado em 2 de junho de 2019. A igreja mostrada no vídeo fica na cidade de Granada, na Nicarágua, e não na Itália.

Em uma segunda publicação, de setembro de 2019, os youtubers mostram como criaram a criatura demoníaca com ferramentas de animação 3D.

Este vídeo também foi checado por AFP e AltNews, da Índia.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: