Coronavírus já está até no Vaticano, mas papa Francisco não foi infectado
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Coronavírus já está até no Vaticano, mas papa Francisco não foi infectado

A cidade do Vaticano anunciou primeiro caso de coronavírus nesta sexta-feira, 6

Alessandra Monnerat

06 de março de 2020 | 18h38

Leia a versão em espanhol

Não é verdade que o papa Francisco tenha sido infectado com o novo coronavírus, como sugerem publicações nas redes sociais. O pontífice, que tem desmarcado compromissos por causa de um resfriado, já foi testado negativo para a doença, de acordo com um jornal italiano. Nesta sexta-feira, 6, o Vaticano confirmou seu primeiro caso de coronavírus, mas ainda não comunicou se o paciente é funcionário da Igreja.

A Santa Sé informou que o papa sofre de um resfriado “sem sintomas relacionados a outras patologias”. Francisco está há uma semana sem sair da Casa Santa Marta, onde reside. O papa tem 83 anos e perdeu um dos pulmões durante a juventude, devido a uma doença respiratória. Na quinta-feira, 5, o diretor da Sala de Imprensa do Vaticano disse à agência Ansa que Francisco estava melhorando.

Papa Francisco é visto tossindo durante pronunciamento na manhã deste domingo, 1º, enquanto a Itália sofre com surto de coronavírus Foto: AP Photo/Andrew Medichini

O primeiro paciente com coronavírus no Vaticano foi atendido no serviço de saúde da cidade-estado. Depois do diagnóstico, as clínicas foram fechadas para higienização. Uma fonte do Vaticano informou à agência de notícias Reuters que a pessoa infectada participou de uma conferência lotada da Pontifícia Academia para a Vida. Os participantes do evento foram informados do caso.

A Itália é um dos países mais atingidos pela epidemia do novo coronavírus. Até esta sexta-feira, 6, eram 4.636 casos, com 197 mortes. No Brasil, são 13 casos. Acompanhe a cobertura em tempo real sobre o assunto.  /COM INFORMAÇÕES DE AP E REUTERS

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

Versão em espanhol

Texto traduzido pelo LatamChequea, grupo colaborativo que reúne dezenas de fact-checkers da América Latina no combate à desinformação relacionada ao novo coronavírus. 

El coronavirus ya llegó hasta el Vaticano, pero el Papa Francisco no fue infectado

No es verdad que el Papa Francisco haya sido infectado con el nuevo coronavirus, como sugieren publicaciones en las redes sociales. El pontífice, que canceló compromisos a causa de un resfriado, dio negativo al test para la enfermedad, de acuerdo con un periódico italiano. El viernes 6, el Vaticano confirmó su primer caso de coronavirus, pero aún no comunicó si el paciente es personal de la Iglesia.

La Santa Sede informó que el Papa sufre de un resfriado “sin síntomas relacionados con otras patologías”. Hace una semana que Francisco no sale de la Casa Santa Marta donde reside. El Papa tiene 83 años y perdió uno de los pulmones durante su juventud, debido a una enfermedad respiratoria. El jueves 5, el director de la Sala de Prensa del Vaticano dijo a la Agencia Ansa que Francisco estaba mejorando.

El primer paciente con coronavirus en el Vaticano fue atendido en el servicio de salud de la ciudad-estado. Posterior al diagnóstico, se cerraron las clínicas para higienización. Una fuente del Vaticano informó a la agencia de noticias Reuters que la persona infectada había participado de una conferencia llena de personas de la Pontificia Academia para la Vida. A los participantes del evento se les notificó del caso.

Italia es uno de los países más afectados por la pandemia del nuevo coronavirus. Hasta el viernes 6, eran 4636 casos con 197 muertes. En Brasil, son 13 casos. Acompañe las noticias sobre el tema en tiempo real.  /COM INFORMAÇÕES DE AP E REUTERS

 

Tudo o que sabemos sobre:

coronavíruspapa franciscoVaticano

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: