Caixa não envia links por WhatsApp ou Facebook para desbloqueio do auxílio emergencial
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Caixa não envia links por WhatsApp ou Facebook para desbloqueio do auxílio emergencial

Polícia Federal alerta que criminosos montaram esquema para roubar informações dos pretendentes ao benefício

Pedro Prata

27 de abril de 2020 | 16h38

A Caixa Econômica Federal não envia um links por WhatsApp nem Facebook para destravar o auxílio emergencial do Governo Federal. Criminosos se aproveitam da situação de atraso, irregularidades e pendências no cadastro de muitas pessoas para tentar aplicar um golpe nas redes sociais.

Ao receber uma mensagem deste tipo, desconfie sempre antes de clicar nos links compartilhados, recomenda a PF. Foto: Reprodução

A Caixa informou por meio de nota que em casos de dúvidas os clientes têm à sua disposição os canais de atendimento ao cliente, tais como SAC/Ouvidoria, 0800 ou qualquer uma de suas agências. “No caso do auxílio emergencial, são disponibilizadas informações confiáveis no site auxilio.caixa.gov.br, na central telefônica 111, no aplicativo CAIXA | Auxílio Emergencial e no site do Ministério da Cidadania. (https://cidadania.gov.br/)”

A Polícia Federal alerta que o link começou a ser compartilhado por volta de 24 de abril. “É bastante comum que os cibercriminosos se aproveitem de períodos e situações específicas, como épocas festivas, promoções feitas por empresas e grandes lojas, liberação por parte do governo de vantagem financeira como FGTS, 13º salário, PIS ou até a situação que envolvam calamidades para criar e aplicar golpes financeiros com temáticas personalizadas para enganar as pessoas. Infelizmente com a pandemia do Coronavírus, não tem sido diferente”, diz a PF.

O link fraudulento é compartilhado juntamente com imagens que possuem a logomarca da Caixa e do Governo Federal. Ao clicar nele, as pessoas são direcionadas a um formulário para preencherem com seus dados pessoais como CPF, endereço, RG, número da conta corrente e senha. Com essas informações, os criminosos podem clonar o WhatsApp das vítimas e abrir contas correntes em bancos virtuais ou físicos. Dessa forma, é possível ter acesso a cartão de crédito, cheque especial, poderá abrir empresas fantasmas e fazer compras pela internet tudo em nome de terceiros.

Nenhum órgão do governo federal se comunica solicitando dados e informações dos seus beneficiários ou servidores através de links via WhatsApp, reitera a Polícia Federal. Foto: Reprodução

Com o intuito de dar veracidade ao material compartilhado, os criminosos também incluíram falsos comentários de Facebook com pessoas afirmando que conseguiram desbloquear o benefício.

A PF deu dicas sobre como se proteger contra golpes virtuais:

  1. Ao receber uma mensagem deste tipo, desconfie sempre antes de clicar nos links compartilhados no WhatsApp ou nas redes sociais;
  2. Não compartilhe links duvidosos com seus contatos sem antes saber se são autênticos – você pode estar sendo usado por bandidos para espalhar o golpe e prejudicar outras pessoas, inclusive seus parentes;
  3. Cuidado com o imediatismo de mensagens tais como: agendamentos liberados até hoje, último dia para o saque, urgente, não perca essa oportunidade, quase sempre tais conteúdos querem fazer com que as pessoas não averiguem a veracidade do conteúdo nas páginas e órgãos oficiais;
  4. O desbloqueio e aprovação imediata do auxílio emergencial são falsos porque somente a Caixa Econômica Federal e a Dataprev podem fazer a avaliação, aprovação e desbloqueio dos cadastros das pessoas que tem direito ao benefício do auxílio emergencial;
  5. Nenhum órgão do governo federal se comunica solicitando dados e informações dos seus beneficiários ou servidores através de links via WhatsApp;
  6. Certifique-se no site oficial da empresa ou governamental sobre a veracidade do que está sendo oferecido, principalmente quando se tratar de supostas promoções, ofertas de dinheiro, brindes, descontos ou até promessas de emprego. Nesse caso, a Caixa Econômica Federal, já esclareceu e alertou que são falsas as informações do link acerca da aprovação imediata do auxílio emergencial;
  7. Nunca preencha nenhum cadastro, formulário ou pesquisa fornecendo seus dados financeiros ou pessoais através de links enviados pelo WhatsApp, tais como: senha de bancos, cartão de crédito e do benefício do INSS dentre outros;
  8. Só faça o cadastro para receber ou liberar o auxílio emergencial no site oficial da Caixa Econômica Federal: www.caixa.gov.br ou nos aplicativos baixados em lojas oficiais das empresas fabricantes dos celulares da Apple (App-Store) e da Samsung (Play-Store);
  9. Não acesse nenhum site que se diga da Caixa Econômica Federal, sem que o endereço termine em “.gov.br”;
  10. Ao entrar na página da Caixa Econômica Federal verifique se existe um cadeado cinza no canto superior esquerdo da página – isso atesta que sua conexão não foi interceptada e que o site está criptografado para impedir golpes;
  11. Links que levem direito ao cadastro devem ter o seguinte endereço: https://auxilio.caixa.gov.br/#/inicio. Ou seja: o endereço da página tem que começar com “HTTPS” —  o “S” corresponde a uma camada extra de segurança;
  12. Não marque nenhum agendamento para que pessoas compareçam em sua residência sob o pretexto de fazer uma consulta presencial. Bandidos podem se aproveitar dessa situação para se passar agentes de saúde e realizar assaltos;
  13. Nunca baixe programas piratas para o celular ou computador. Tais sites costumam ter a maior concentração de vírus;
  14. Instale um bom antivírus em seu celular ou computador e tenha o sistema operacional do seu celular e computador atualizados.

Tudo o que sabemos sobre:

caixa econômica federalwhatsappfacebook

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: