Boatos sobre chuvas no Espírito Santo miram governador Renato Casagrande
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Boatos sobre chuvas no Espírito Santo miram governador Renato Casagrande

Publicações insinuam que governo estadual recusou ajuda federal por motivos políticos, o que não é verdade

Tiago Aguiar

29 de janeiro de 2020 | 16h32

São falsas as postagens no Facebook alegando que o governador do Espírito Santo Renato Casagrande negou ajuda do governo federal nas ações de socorro às vítimas das fortes chuvas que atingiram o Estado na segunda quinzena de janeiro. Segundo as publicações,  Casagrande teria recusado apoio do Exército por “motivações ideológicas” ou “jogo político”.

A Defesa Civil do Espírito Santo requisitou auxílio do Comando do 38º Batalhão do Exército, que, desde a última quinta-feira, 23, atua em cidades capixabas. Antes do envio de ajuda, um órgão do Ministério de Desenvolvimento Regional já estava em diálogo com a Defesa Civil do Estado.

Ao Estadão Verifica, a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil também afirmou que o Ministério da Saúde está enviando remédios e médicos para trabalhar em sintonia com a Secretaria de Estado da Saúde.

Após o incremento da circulação dos boatos, a Procuradoria-Geral do Estado protocolou uma representação ao Ministério Público estadual pedindo a apuração da veiculação de desinformação.

Segundo a Defesa Civil, até o dia 28 de janeiro, mais de 10 mil pessoas já tiveram de deixar suas casas por conta das chuvas. Pelo menos nove pessoas morreram.

Mutirão reúne voluntários para limpeza de ruas em Iconha, Espírito Santo. Foto: Hélio Filho/Secom

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: