Boato sobre ‘expulsão’ de jornalista norte-americano por Lula omite que medida foi revogada antes de fazer efeito
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Boato sobre ‘expulsão’ de jornalista norte-americano por Lula omite que medida foi revogada antes de fazer efeito

Caso voltou à tona nas redes sociais após o presidente Jair Bolsonaro declarar que o jornalista Glenn Greenwald poderia “pegar uma cana” no Brasil

Alessandra Monnerat

29 de julho de 2019 | 17h35

O jornalista norte-americano Larry Rohter não chegou a ser expulso do Brasil em 2004, diferentemente do que afirma uma publicação viral no Facebook. Há pouco mais de 15 anos, o jornal The New York Times publicou uma reportagem de Rohter que relacionava o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva a um suposto abuso no consumo de bebidas alcóolicas. A reportagem desagradou ao Palácio do Planalto, que determinou a suspensão do visto do correspondente estrangeiro. No entanto, poucos dias depois, o Ministério da Justiça revogou a portaria que cassava a estadia. A Justiça já havia dado previamente um salvo-conduto ao jornalista.

Página do ‘Estado’ de 15 de maio de 2004. Foto: Acervo/Estadão

O caso voltou à tona nas redes sociais após o presidente Jair Bolsonaro declarar, no sábado, 27, que o jornalista norte-americano Glenn Greenwald poderia “pegar uma cana” no Brasil. O cofundador do site The Intercept Brasil, que mora no Rio de Janeiro, qualificou como “perturbados” os comentários do presidente. Entidades de defesa da liberdade de imprensa, como a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), repudiaram as declarações de Bolsonaro.

No caso de Rohter, também houve significativa repercussão negativa em relação à atitude de Lula. Na época, além da Abraji, a Associação Nacional de Jornais (ANJ), a Federação Internacional de Jornalistas (FIJ), o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) e a organização Repórteres sem Fronteiras (RSF) repudiaram a ameaça de expulsão do jornalista.

Também não é verdade que a imprensa se calou sobre o caso, como afirmam boatos em circulação atualmente. Como mostra esta reportagem do Acervo do Estado, o jornal dedicou várias páginas à cobertura do assunto. A mídia internacional também repercutiu o caso — The New York Times, Clarín, BBC e The Guardian foram alguns dos veículos que publicaram material sobre o cancelamento do visto de Rohter.

Este conteúdo foi selecionado para checagem por meio da parceria entre o Estadão Verifica e o Facebook. Para sugerir verificações, envie uma mensagem para o número (11) 99263-7900.

Tendências: