Boato sobre energéticos falsifica origem da substância taurina
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Boato sobre energéticos falsifica origem da substância taurina

Ao contrário do que afirma artigo viral, aminoácido não é tirado de sêmen ou urina de touro

Alessandra Monnerat

17 de julho de 2019 | 18h30

Substância presente em energéticos, taurina não é tirada de sêmen ou urina do touro. Foto: Paulo Pinto / AE

Não é verdade que a substância taurina, contida em bebidas energéticas, venha da urina ou do sêmen do touro. Um artigo que traz à tona a antiga lenda urbana voltou a viralizar no Facebook nesta semana. A taurina é um dos aminoácidos mais abundantes no corpo humano e também está presente em altas concentrações em várias espécies do reino animal. Em bebidas energéticas e outros produtos da indústria alimentícia, a substância é sintetizada artificialmente.  

A taurina tem esse nome porque foi isolada pela primeira vez da bílis do touro. A bílis é um fluído produzido pelo fígado que serve para facilitar a digestão de gordura. No entanto, a substância não está restrita a bovinos, sendo encontrada também em muitos mamíferos, insetos e até algas.

De acordo com um artigo das universidades federais do Ceará e de Viçosa, a taurina desempenha papel de neurotransmissor, uma espécie de mensageiro químico para o sistema nervoso. Outras funções do aminoácido incluem desintoxicação de substâncias químicas estranhas e produção e ação da bílis. A taurina também faz parte de vários outros processos do organismo. 

O mesmo artigo também aponta que a ingestão de taurina por pessoas que bebem energéticos fica entre 0,4 e 1 grama. Não existem efeitos colaterais sérios relatados para essas doses da substância. Segundo os pesquisadores, este aminoácido geralmente é bem tolerado. 

Esta lenda urbana já foi desmentida por vários sites: Snopes, Boatos.Org, E-Farsas, Superinteressante. O conteúdo foi selecionado para checagem por meio da parceria entre Estadão Verifica e Facebook. Para sugerir checagens, envie uma mensagem ao número (11) 99263-7900.

Tudo o que sabemos sobre:

fake newsbebida energética

Tendências: