Boato resgata montagem de 2011 de Obama beijando David Cameron
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Boato resgata montagem de 2011 de Obama beijando David Cameron

Imagem voltou a viralizar após oficialização dos candidatos à presidência dos Estados Unidos de 2020

Pedro Prata

31 de agosto de 2020 | 17h54

É montagem a imagem de um beijo entre Barack Obama, ex-presidente dos Estados Unidos, e David Cameron, ex-primeiro-ministro do Reino Unido. A foto adulterada tem sido compartilhada ao menos desde 2011, mas foi resgatada e compartilhada por perfis brasileiros neste ano de eleições nos EUA. A publicação checada pelo Estadão Verifica foi recebeu ao menos 2,7 mil compartilhamentos.

A montagem traz o improvável beijo de Obama e Cameron em primeiro plano. Ao fundo contemplam a cena com caras de espanto a mulher de Obama, Michelle, e a apresentadora Oprah Winfrey. “Por isso que eu prefiro o meu presidente malcriado”, diz a montagem.

A montagem não é nova. Uma busca no Facebook por “Obama kissing Cameron” retornou fotos publicadas desde 2011. Além disso, ao procurar a montagem no mecanismo de busca reversa do Google, foi possível identificar checagens dos sites PolitiFact e Snopes, dos Estados Unidos, e Polígrafo, de Portugal.

Montagem é de 2011, mas foi resgatada após partidos Democrata e Republicano oficializarem candidaturas à presidência. Foto: Reprodução

O site de checagem PolitiFact encontrou a imagem no site “Know Your Meme” (conheça o seu meme, em tradução livre). Ela é classificada como uma paródia, e faz parte de uma série de montagens de líderes mundiais se beijando.

A foto original mostra Barack Obama beijando sua esposa, Michelle. Ela foi postada em 6 de novembro pelo portal britânico Belfast Telegraph em reportagem intitulada “Barack Obama é capaz de curar a América?”. Ela foi tirada pelo fotógrafo Scott Olson, e está disponível no banco de imagens Getty Images.

A imagem original tem alguns detalhes que permitem concluir se tratar da mesma foto utilizada para a montagem. São eles a bandeira dos Estados Unidos desfocada ao fundo e uma pulseira preta no punho direito de Obama.

A legenda informa que o momento foi fotografado após o discurso da vitória de Barack Obama. Naquele ano, ele venceu as eleições e se tornou o primeiro presidente negro dos Estados Unidos.

Imagem do boato originalmente retratava beijo de Barack Obama na mulher, Michelle. Foto: Getty Images/Reprodução

Já a foto original de David Cameron também mostra ele beijando a esposa, Samantha. Ela foi tirada pelo fotógrafo Steve Parsons em 3 de outubro de 2007 e está disponível no site da Getty Images. Dessa vez, o que indica se tratar da mesma imagem é a cor da gravata de Cameron.

Imagem do boato originalmente retratava beijo de David Cameron na mulher, Samantha. Foto: Getty Images/Reprodução

A montagem foi resgatada pouco após os partidos Republicano e Democrata oficializarem seus candidatos à presidência dos Estados Unidos. O republicano Donald Trump tenta a reeleição contra o ex-vice-presidente democrata Joe Biden. As eleições ocorrerão em 3 de novembro.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: