Boato inventa tuíte de Lula com apoio a Sérgio Moro
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Boato inventa tuíte de Lula com apoio a Sérgio Moro

Post no Facebook atribui ao petista elogios à atuação do ex-juiz da Lava Jato que o condenou

Pedro Prata

29 de abril de 2020 | 11h42

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não prestou solidariedade a Sérgio Moro após o ex-ministro deixar o Ministério da Justiça nesta sexta, 24. Boatos nas redes sociais associam o petista a uma mensagem de apoio ao ex-juiz da Lava Jato, mas a assessoria de Lula nega que ele seja o autor da fala.

‘Lula nunca disse ou postou isso’, informou a assessoria do ex-presidente. Foto: Adriano Machado/Reuters

Postagens falsas no Facebook alegam que o ex-presidente teria dito: “Me solidarizo ao ministro Moro, um exemplo de honestidade e seriedade não pode fazer parte de um governo tendencioso”. Sérgio Moro pediu demissão do cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública e acusou publicamente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de tentar interferir politicamente na Polícia Federal. No mesmo dia, Bolsonaro fez um pronunciamento no qual contestou a versão oferecida pelo seu ex-ministro.

O boato envolvendo Lula ainda reproduz um falso tuíte do ex-presidente no qual ele avalia como positiva a atuação profissional de Moro. O ex-juiz federal de Curitiba foi responsável pelos julgamentos da Operação Lava Jato e condenou o ex-presidente petista a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá.

A assessoria do ex-presidente Lula falou que a publicação com apoio a Sérgio Moro é “completa mentira”. “Lula não acha isso, nunca disse ou postou isso.”

Tuíte falso trazia elogio à atuação profissional do ex-juiz federal Sérgio Moro. Foto: Reprodução

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.