Boato antigo ressurge e omite absolvição de Haddad no caso Fies
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Boato antigo ressurge e omite absolvição de Haddad no caso Fies

Com mais de 500 mil compartilhamentos, mensagem atribui ao petista caso arquivado pelo TCU

Caio Sartori

22 de maio de 2019 | 16h43

Um boato antigo envolvendo o ex-presidenciável Fernando Haddad (PT) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) continua com ampla circulação nas redes sociais. A mensagem diz que o Tribunal de Contas da União (TCU) teria descoberto um rombo de cerca de R$ 20 bilhões que teria ligação com o petista. Apesar de ter havido, em 2016, uma auditoria voltada para isso, o processo inocentou os ministros e foi arquivado em 2018.

Na ocasião, oito figuras públicas ligadas ao PT foram intimadas a prestar depoimento, entre elas Haddad, que foi ministro da Educação de 2005 a 2012. O TCU, porém, absolveu em plenário, por seis votos a dois, os ex-ministros envolvidos. Além de Haddad, foram intimados Aloizio Mercadante e Henrique Paim, também da Educação, e Nelson Barbosa e Miriam Belchior, do Ministério do Planejamento.

O relatório do TCU que resultou na absolvição dos ex-ministros foi apresentado em novembro de 2016 pela ministra Ana Arraes. No texto, ela afirma que “o Fies passou por período de significativa ampliação sem que houvesse um planejamento adequado ou estudos que amparassem o crescimento da política pública, o que tem acarretado riscos à sustentabilidade do programa.”

Fernando Haddad discursa durante evento para celebrar os 39 anos do Partido dos Trabalhadores (PT), em São Paulo Foto: Sebastião Moreira/ EFE

De volta às redes sociais depois de já ter sido espalhado durante o período eleitoral, o boato conta com mais de 600 mil compartilhamentos no Facebook. Esta verificação foi feita por meio da parceria entre o Estadão Verifica e a rede social — saiba mais aqui.

O Estado venceu o Prêmio Esso de Jornalismo com a série A Farra do Fies, publicada em fevereiro de 2015. Neste link, é possível ver sete gráficos elaborados pelo Estadão Dados que apontavam para suspeitas no programa de financiamento estudantil.

Mais conteúdo sobre:

fernando haddadfies