Aviso de privacidade no WhatsApp é legítimo; posts confundem mensagem com possível golpe
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Aviso de privacidade no WhatsApp é legítimo; posts confundem mensagem com possível golpe

Aplicativo informou usuários sobre adequação à Lei Geral de Proteção de Dados com painel horizontal na parte superior da tela de conversas

Pedro Prata

25 de agosto de 2020 | 19h30

Uma imagem que viralizou nas redes sociais faz um falso alerta de golpe no WhatsApp. O aplicativo de mensagens emitiu um aviso de privacidade a seus usuários brasileiros sobre as novas medidas de adequação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) — alguns confundiram a mensagem, que é legítima, com um possível golpe. O conteúdo checado pelo Estadão Verifica foi compartilhado ao menos 2,1 mil vezes no Facebook em dois dias.

Vários sites e apps emitiram avisos de privacidade semelhantes nas últimas semanas. Isso porque esses serviços precisam adequar seus termos de uso à LGPD, que impõe regras sobre como as empresas podem guardar ou utilizar informações pessoais de seus usuários. Havia expectativa de que a legislação entrasse em vigor no último dia 17, mas o Congresso discute adiar esse prazo para 2021.

WhatsApp utiliza painel horizontal na tela das conversas para informar usuários brasileiros sobre normas de adequação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Foto: Reprodução

“Pessoal, apareceu isso no meu WhatsApp e eu acabei acessando pensando que era configuração do app”, diz a postagem falsa. A publicação é acompanhada por imagem que reproduz a tela do aplicativo de mensagens, com um botão para ler o aviso de privacidade. “Acabou de passar no jornal que isso é golpe para clonar o WhatsApp da pessoa e pedem dinheiro emprestado aos contatos. Se alguém entrar em contato se passando por mim, pedindo dinheiro, me liguem imediatamente.”

A assessoria de comunicação do WhatsApp confirmou ao Estadão Verifica que o aviso de privacidade é verdadeiro, e que a mensagem foi repassada a todos os usuários brasileiros para informar sobre as medidas de adequação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD): “Este aviso aparece como notificação num painel horizontal na parte superior da tela das Conversas, com um link ao ‘Aviso de Privacidade — Brasil’ do WhatsApp no qual é totalmente seguro clicar.”

No entanto, o aplicativo de mensagens reforça que a comunicação não é feita por meio de mensagens diretas: “O WhatsApp não está notificando seus usuários sobre a LGPD por meio de mensagens diretas. É importante que os usuários no Brasil fiquem atentos caso recebam uma comunicação sobre a LGPD em forma de mensagem de um número de telefone desconhecido e o denunciem ao WhatsApp.”

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: