Áudio em que mulher grita ‘eu voto Lula’ em vídeo de campanha de Alckmin é montagem
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Áudio em que mulher grita ‘eu voto Lula’ em vídeo de campanha de Alckmin é montagem

Vídeo foi alterado posteriormente para incluir a voz de Dona Marluce

Estadão Verifica

30 Agosto 2018 | 14h13

checagem abaixo foi publicada pelo Projeto Comprova. A verificação foi realizada por uma equipe de jornalistas da Rádio Gaúcha, Folha de S. Paulo e Poder360. Outras redações concordaram com a checagem, no processo conhecido como “crosscheck”: Jornal do Commercio, Gazeta do Povo, SBT e O Povo. 

Projeto Comprova é uma coalização de 24 veículos de mídia com o objetivo de combater a desinformação durante o período eleitoral. Você pode sugerir checagens por meio do número de WhatsApp (11) 97795-0022.

Uma montagem viral que circula pelas redes sociais sugere que uma mulher diz votar em Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à Presidência pelo PT, em um vídeo de campanha divulgado pelo também presidenciável Geraldo Alckmin, do PSDB.

O vídeo original, que não tem a voz da mulher, foi publicado pela primeira vez no Instagram do candidato tucano no dia 23 de agosto. “Olha que beleza aqui o sítio da dona Marluce com a criação de ovelhas e carneiros”, diz Alckmin no vídeo.

Já a versão adulterada do vídeo acrescenta a voz de uma mulher dizendo: “Não, não, comigo não… Eu voto é no Lula”. Como mostra checagem feita pela Folha de S.Paulo, a tal voz está com volume constante, enquanto a câmera se movimenta. O normal em uma gravação do tipo seria uma oscilação do áudio. O primeiro “não” da voz feminina é exatamente igual ao segundo, o que significa se tratar de um áudio montado.

Na filmagem original, que tem poucos segundos, Alckmin aparece em uma fazenda falando sobre propostas para ampliar o número de cisternas em regiões de seca. Segundo o candidato, o vídeo foi feito numa fazenda chamada Terranova, na região de Petrolina (PE), pertencente a Marluce Rodrigues. A agenda pública de Alckmin informou apenas que, no dia em questão, o candidato esteve, durante a tarde, na fazenda Tropicália e, durante a noite, em encontro com lideranças políticas na Casa Zé Matuto.

Ao Comprova, a assessoria do candidato afirmou que Alckmin foi à Tropicália, onde se reuniu com a imprensa, e que na Terranova ele gravou programas – o que não é agenda pública, embora a imprensa até tivesse sido avisada. Também de acordo com sua assessoria de imprensa, o ex-governador de São Paulo estava apenas com o profissional responsável pela captura de imagens no momento da gravação do vídeo.

O Comprova não conseguiu localizar a mulher citada no vídeo, Marluce Rodrigues, nem confirmar a existência da fazenda. Questionada, a assessoria do candidato não deu detalhes sobre o endereço do local nem da mulher mencionada na gravação.

O vídeo adulterado com a voz de uma mulher foi publicado no dia 24 de agosto — um dia após a divulgação do original no Instagram de Alckmin — em páginas do Twitter como “Haddad Tranquilão”, “Burguesia Fede” e “Rosa de Nagasaki”. Só nestes três perfis, até quarta-feira, 29 de agosto, o vídeo teve 126,5 mil visualizações. Após uma primeira publicação, a página “Rosa de Nagasaki” afirmou que o vídeo era montagem.

O perfil verificado do senador Humberto Costa, do PT, também replicou o vídeo na mesma rede social.

No dia 25 de agosto, o site de Alckmin divulgou esclarecimentos sobre o vídeo original e pediu para que internautas denunciassem a montagem enganosa. “[No vídeo] Ouvimos o balido dos animais e os sons de pés se movendo na terra, não há voz feminina ao fundo”, diz trecho do texto. O boato sobre o vídeo também foi verificado pelo site Boatos.org no dia 27 de agosto.