Artigo recicla boato sobre padre abusador infantil com HIV

Artigo recicla boato sobre padre abusador infantil com HIV

Texto sobre falso caso escandaloso na igreja circula desde 2016

Tiago Aguiar e Alessandra Monnerat

29 de janeiro de 2020 | 18h42

Um artigo do site Sempre Questione alega que um padre, diagnosticado com HIV, admitiu ter abusado de quase 30 crianças entre 5 e 10 anos de idade no México e que, mesmo assim, foi absolvido pela Arquidiocese do país e pelo Vaticano. A história é falsa: usa um nome inventado de um padre, exibe a foto de um sacerdote que não é alvo de acusações conhecidas de abuso sexual e adapta um boato que circula em outros países desde 2016.

Não há registro de um padre chamado José Garcia Ataulfo na base de dados da Arquidiocese do México, consultada pela Catholic News AgencyA foto utilizada para ilustrar o artigo falso é do padre José Antonio Fortea, um exorcista espanhol. A imagem original pode ser encontrada quando se faz uma busca reversa de imagem.

O boato ganhou repercussão após a publicação da história pelo tablóide britânico Daily Mail. O Mail atribui a informação a um site argentino que se baseia no grupo mexicano “Anonymous”. A fonte da suposta denúncia original está fora do ar. Entre os veículos de checagem que já verificaram versões do caso desde 2016 estão o americano Snopes, o mexicano Animal Politico e os brasileiros E-farsas e Boatos.org.

Vista aérea da Praça de São Pedro no Vaticano. Foto: Reuters

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho

Tudo o que sabemos sobre:

VaticanoIgreja Católica

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.