Ao menos 40 políticos morreram por covid-19, diferentemente do que afirma post viral
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ao menos 40 políticos morreram por covid-19, diferentemente do que afirma post viral

Publicação com 10 mil compartilhamentos no Facebook afirma que coronavírus não matou políticos 'nem aqui nem na China'

Estadão Verifica

07 de maio de 2020 | 19h33

Um boato que circula no Facebook afirma que nenhum político no Brasil e no mundo foi infectado ou morreu em decorrência do novo coronavírus. Os comentários da publicação, que teve mais de 10 mil compartilhamentos, mostram que outras pessoas também acreditam que a covid-19 mata todos, menos profissionais que exercem cargos públicos. 

No Piauí, Estado com mais de 3 milhões de pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a primeira vítima da covid-19 foi o prefeito da cidade São José do Divino. Eleito pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Antônio Felícia morreu aos 57 anos, na madrugada do dia 27 de março.

Outros políticos brasileiros também morreram em decorrência do novo coronavírus. No dia 21 de abril, o ex-vice governador do Pará, Gerson Peres, faleceu em Belém aos 88 anos após ficar internado quase dez dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Também em Belém, o ex-deputado federal e ex-presidente do clube de futebol Paysandu Asdrubal Bentes foi vítima da covid-19.

No momento em que o Brasil caminha para se tornar novo epicentro do coronavírus no mundo, os boatos que circulam nas redes sociais confrontam as informações divulgadas por secretarias municipais e estaduais das cidades afetadas. O País registrou até esta quinta-feira, 7, 9.146 mortes e 135.136 casos confirmados. Os dados foram divulgados pelas secretarias estaduais de saúde.

Boato viral no Facebook. Foto: Reprodução

No boato compartilhado no Facebook, o termo “nem aqui, nem na China” é usado para dizer que políticos não morrem em nenhum lugar do mundo durante esta pandemia. Somente na China, entre o dia 26 e 31 de janeiro, morreram o ex-chefe da Comissão de Assuntos Étnicos e Religioso de Wuhan, Wang Xianliang; o ex-prefeito de Huangshi, Yang Xiaobo; e o ex-diretor geral adjunto do Departamento de Assuntos Civis da província de Hube, Wen Zengxian. 

Entre os políticos mortos em outros países, está o diplomata escocês e vice-chefe de missão na embaixada britânica em Budapeste, Steven Dick. Depois de ter testado positivo, Dick morreu aos 37 anos de covid-19 no dia 24 de março.  

De acordo com a universidade americana Johns Hopkins, o número de casos de infecção pelo novo coronavírus no mundo chegou a 3,76 milhões, mais de 267 mil mortes e 1,2 milhão de recuperados. 

Com base em pesquisas feitas pelo Estadão Verifica, ao menos 40 políticos em cargos eletivos ou funcionários que exercem outros cargos públicos morreram em decorrência do novo coronavírus ou testaram positivo para a doença no mundo. É o caso do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson. Ele foi diagnosticado com covid-19 em abril e ficou três noites na UTI, após apresentar ‘sintomas persistentes’, como febre e tosse. Ele foi tratado no Hospital St. Thomas e recebeu alta no dia 12 do mesmo mês.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: