Alerta sobre ‘pico do vírus’ em abril foi divulgado pela Unimed em 2020
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Alerta sobre ‘pico do vírus’ em abril foi divulgado pela Unimed em 2020

Comunicado que afirma que maioria das pessoas será contaminada até a próxima quarta-feira é antigo

Alessandra Monnerat

05 de março de 2021 | 19h25

É falso que a operadora Unimed tenha alertado que o “pico do vírus” da covid-19 será entre os dias 6 e 20 de abril de 2021, e que a maioria das pessoas se contaminará até a próxima quarta-feira. O aviso que circula no WhatsApp e nas redes sociais, na realidade, é de 2020. Além disso, a previsão de “pico” não se concretizou. A data em que houve registro recorde de mortes causadas pelo novo coronavírus no ano passado ocorreu em julho, e de casos, em dezembro.

Leitores pediram a checagem deste conteúdo por WhatsApp: (11) 97683-7490.

Em nota, a Unimed informou que o aviso foi divulgado pela unidade de Cataguases, em Minas Gerais, na fase inicial da pandemia. “É importante considerar que o contexto da época dessa divulgação era outro e que o comunicado da cooperativa apoiava as recomendações das autoridades públicas locais, não se aplicando ao momento atual”, comunicou a empresa.

De qualquer forma, o conselho de isolamento social contido na mensagem é válido: o Estado de São Paulo entra em fase vermelha a partir da zero hora deste sábado, 6. Isso quer dizer que há alerta máximo no plano de combate à pandemia, e é permitida apenas a realização de atividades consideradas essenciais. O secretário estadual da Saúde paulista, Jean Gorinchteyn, informou que três pacientes são hospitalizados a cada minuto e que os hospitais estão “colapsados”. 

Os Estados brasileiros vivem o pior momento da pandemia até agora, com alta na quantidade de infectados e mortos pela covid-19. Nesta quinta-feira, 4, o País teve novo recorde de óbitos registrados pela doença: 1.786.

A Agência Lupa também checou esse boato.

Tudo o que sabemos sobre:

coronavírusfake news [notícia falsa]

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.