Temer convoca líderes

Eliane Cantanhêde

23 de maio de 2016 | 20h05

O presidente interino Michel Temer informou à noite a este blog que pretende retomar a dianteira do processo político depois da crise Romero Jucá, convocando todos os líderes de partidos aliados da Câmara e do Senado para uma grande reunião nesta terça-feira, às 9h45. A intenção é que os líderes tenham acesso ao pacote econômico antes da divulgação à opinião pública.

O anúncio público, com o detalhamento das medidas, será feito em seguida pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que deverá ser acompanhado pelo ministro substituto do Planejamento, Diogo Oliveira. Ele foi o segundo homem da pasta com o ministro Nelson Barbosa no governo Dilma Rousseff e continuou sendo com Romero Jucá já na interinidade de Temer.

O presidente elogiou “a extrema competência” e a “grande liderança” de Jucá no Senado, motivos pelos quais o fez ministro do Planejamento, mas lamentou que todo o episódio da gravação da conversa de Jucá com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado será combustível para as manifestações anti-governo que ocorrem em diferentes pontos do país.

Conforme o blog apurou junto a assessores diretos de Temer, o presidente recorreu aos órgãos de inteligência do governo _ inclusive à Agência Brasileira de Inteligência (Abin) _para apurar a veracidade da informação de que Sérgio Machado teria gravações comprometedoras também com o presidente do Senado, Renan Calheiros, e com o ex-presidente da República José Sarney.

Os órgãos de inteligência não conseguiram confirmar, mas também não desmentiram categoricamente se há ou não essas gravações. Isso, portanto, deixa uma aura de tensão adicional no palácio do Planalto e no palácio do Jaburu.